terça-feira, 4 de novembro de 2014

Eu e os probioticos

De repente, aqui sentada penso no meu blog e constato que o tempo voa e continuo ausente....
Não dá para tudo...
a minha vida é um rodopio de afazeres que se entrelaçam e me põem a correr literalmente.
Dividir-me entre campo e cidade tem sido cansativo mas revigorante.
O tempo passa, o calor está indo embora, entranha-se o frio na pele e o vento gelado. Tremo ao pensar nas constipações, nas gripes, nos ranhos e nas ranhocas, pois o ano passado a minha casa não foi poupada e passei um pequeno inferno com as miúdas.
Então por cá, gerimos o dia a dia. Temos a maior na ginástica acrobática, temos a pequena com crises de carência e ciúmes com a irmã.... temos treinos (quase) diários de meia hora que me deixam como nova... Temos bicicleta e boot bikers ;)
temos também Kefir e agora Kombucha. Depois de anos sem consumir leite, o kefir apareceu na minha dieta e sinto-me bem. Há 3 semanas que ando a consumir kefir e sinto as tripas revoltas. Muito mais regular os intestinos.Tenho dificuldades em beber tanta água como bebia... Tenho insistir.
Kobumcha entrou hoje em casa, gentilmente doado. Leio, tenho lido muito sobre os probioticos e sobre os alimentos fermentados. Para a trilogia perfeita, falta-me incluir "cultured food", mas lá chegaremos.
e depois os instintos guiam-me, em época de recolhimento, para novas paragens e ora leio sobre infância, disciplina positiva e afins, ora sem me aperceber me vejo parada a ler com interesse. sobre dietas low carb e fico chocada, pois abala todos os meus paradoxos.
Sem falar na farinha, agora que eu ando numa de padeira de Aljubarrota ;)
De resto, e porque projetos inacabados são para terminar, eu e o marido continuamos na saga da pedra da ribeira para o jardim. Nem mostro meus dedos, estão horrorosos ! :(
O marido já escavou sozinho um buraco enorme para o futuro tanque rustico e agora quer virar-se para a horta e claro, eu vou por arrasto.
E sem me aperceber ando tratando da terra dos canteiros e comprando sementes para plantar coisas!
E não é que pareco uma criança eufórica quando constato que a tal estaca de roseira pegou?! ou que as sementes de coentros começam a germinar?! ou vejo o jardim a ganhar contornos?! E que bonito está a ficar?!
E é isto!
Boa semana

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Novidades

a cada dia que passa gosto mais da vida de campo. Cheirar e pisar a terra molhada! Ver as coisas ganharem forma.... O jardim tem ganho destaque. O meu marido não pára e Empurra-nos para a terra. O pior ou melhor éque quando lá se chega, o tempo pára, não nos apercebemos de nada e é difícil largar aquilo. De tal forma que este domingo sai correndo do campo com a promessa de regressar durante a semana para tratar da casa, pois embora a tivesse deixado arrumada, falta aquela limpeza maior.
Para o próximo fim de semana, conto dedicar-me ao pão! Sim ao pão! Dar vida ao forno de lenha que reclama destaque. Engraçado, vejo-me novamente a navegar pelas receitas de pão, pelos fermentos caseiros. Já tenho receitas que quero preparar para ver se consigo ter fermento pronto para os pãezinhos.
Vamos por partes. Jardim e forno! Planeamos fazer uns passeios para conseguir arranjar pedra do rio. Assim não há monotomia.
Quanto a mim agora ando a experimentar o kefir depois de tantos anos sem provar leite. Acontece que acho que preciso de suplementar-me melhor.
O tempo é pouco para tudo. Eu só peço calma para levar as coisas e gerir o temperamento sobretudo da maior sem provocar guerras e atritos.
A pequena, tirando o problema de agora andar na fase de não querer dormir na mm hora que a irmã, leva-se bem, sempre se levou, tadinha da minha menina.
e é isto. Boa semana!

domingo, 12 de outubro de 2014

Continuando

depois de todo o aparato e aflição pura para tentar remediar a situação, o pedreiro sobe ao telhado e passa um silicone especial para água + maçarico e puf, fez-se magia branca. A preocupação deu lugar à apreensão e a apreensão deu lugar à uma frágil tranquilidade.
Fomos na 6ª feira, como habitual, passar o fim de semana ao campo. Armei uma tenda no quarto de visitas, pois embora já não houvesse sinais de água a pingar no telhado, continuava preocupada, não fosse cair água sem destino e ter que incomodar sonos e afins.
Felizmente e graças a todos os santos estancou. Agora é esperar madeira secar. Mais estrago fez a tela liquida que escorreu parede abaixo e nem com lixivia a consegui remover. Só mesmo pintando.
Fora isso, e o caos de roupa para secar, que com a humidade é impossível, tivemos um bom serão.
Inaugurámos a salamandra para testá-la e emana um calorzinho bom! Aquece o ambiente e convida ao bolinho e chá, vendo cair chuva lá fora. Recebemos visitas, as miúdas brincaram, os pais socializaram.
Hoje, fomos ao mercado e tínhamos que comprar uma ansiada macieira de maçãs vermelhas, atenção, maças vermelhas que é como a menina C desejou. Por implulso trouxe tb um abacateiro que espero não vir a dar-me dores cabeça.
Com a chuva que caiu, dá gosto ver a relva a brotar, as plantas a se adaptarem às novas moradias.
Há sempre muito trabalho a ser feito e o tempo passa num instante. Mas para mim, é um cansaço saudável. As miúdas gostam de lá estar e assim chego cansada mas tranquila, para a semana que entra. Tendo em conta o que o pedreiro disse, teremos que estar atentos, pois segundo ele,  as chuvas entram no espigão central da casa, são as primeiras e as telhas que estão presas ao cimento podem pequenas fissuras, suficiente para acontecer estes pesadelos.
Terei que estar atenta e presente, já que não moramos lá.
Boa semana

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Grande angustia

As 1ºs chuvas chegaram em força e os estragos são muitos :(. SInto-me brutalmente impotente para conseguir remediar o que quer que seja.
Como comecou a chover como se não houvesse amanhã, resolvi ir ver como estavam as coisas na casa do campo.
Fiquei horrorizada quando vi minha cama com uma grande mancha de água, que passou colcha e chegou ao colchão. Olhei para a estrutura de madeira e vi que havia ali um ponto de água.... ok. Limpei coloquei umas toalhas e depois um balde, para ver se a água não me chegava ao soalho de madeira.... Vou ao sótão, ao quartos das miudas e vejo alguns sitios também o telhado de madeira ensopado! Turcos, toalhas, baldes. O meu humor ficou negro como o breu e já não tinha vontade sequer de vir trabalhar. Limpei os estragos e vim correndo falar com o meu marido sobre o cenário.
Liga para o pedreiro que diz que a unica coisa que podia ser era alguma telha estalada... Que pode acontecer... Acontecer uma merda! Um bela merda está armada. Sabem aquela sensação de ter compromissos, ir buscar miudas, levá-la a reboque com chuva a potes e quereres fazer as coisas e não puderes? Ontem eu tinha um diabo no meu corpo e o pensamento toldado pelos instintos mais primários. Assim que conseguimos, levei lancheiras carregadas de comida e enfiei-as no sofá a ver um dvd para ver se não chateavam, porque a paciencia era zero :( o meu marido subiu para o telhado com aquela chuva a tentar perceber de onde vinha aquelas fugas de água.
Resumindo: tenho algumas telhas rachadas, não sei como, se foi do ceder da casa que foi feita á um par de meses, se foi porque andaram em cima do telhado a ver antenas, não sei! Só sei que estou agoniada porque vejo o tempo de chuva que não dá tréguas e assim é complicado. Não dá para mudar as telhas com esta chuva.... Ontem o meu marido ainda resolveu dar tela liquida para tentar estancar, porque a chuva tinha parado. Acontece que a chuva voltou, e nem tempo deu para secar nada. Estou uma pilha de raiva.
Hoje não conseguia vir trabalhar, sem passar por lá. Tentei adormecer o meu lado animalesco e dar toda a atenção às miudas. Com a pequena a coisa não correu bem, porque a parva só fez birras. Haja paciencia, que enquanto tiver este sufoca é dificil ir buscar às entranhas toda a disponibilidade que tenho para elas. Só vivo para elas, basicamente, e só quando existem situações dificeis e imprevistas é que penso que não há ninguém, não há a merda de ninguém que me dê uma mão com as miudas.
Pois bem, forrei tudo o que pude nos locais criticos com as toalhas que tinha, com os sacos de lixo grandes que tinha... tentei colocar baldes nos pontos de fuga de água e meu coração ficou destroçado ver as tábuas de madeira e os barrotes de eucalipto todos ensopados. espero que consiga reverter este cenário.
Como estava a dizer, hoje de manhã voltei para ver os estragos. Está pior.... No meu quarto há umas traves que pingam sem parar e agora a água vem meio esbranquiçada, deve ser da tela liquida que não teve tempo de secar.... O quarto delas idem aspas....
A porta de entrada de casa precisa de um avanço pois com o vento e as chuvas entra água para casa.
Que nervos. Sei que racionalmente só depois dos chuvas podemos saber o que está bem, o que está mal, o que precisamos melhorar, mas logo desta maneira, ninguém merece.
Estou para aqui a contar as horas para puder sair daqui e iir buscar o meu marido que coitado nem tempo para comer tem tido, para irmos na hora de almoço colocar uns plasticos no telhado, nas zonas criticas, e rezar.... rezar muito para que consigamos controlar estas caca toda sem que os estragos sejam irreversiveis
fui

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Os progressos chegam ensolarados

com o Outubro que teima manter o verão.
Ora bem, temos avanços e novidades!
Ando tão bem de pé descalço pisando a terra fofa e empoeirada que esqueço do tempo, das horas e dos minutos. Experimentem... uma excelente terapia.
Agora as energias têm-se virado para o jardim. O Jardim que queremos ver crescer, num pedaço de terra árida, que outrora albergou uma alfarrobeira centenária e um monte de mato e pitas que escondiam descaradamente a vista inesquecível que temos até ao mar.
Uma grande pena tive, é certo, de mandar abaixo aquela alfarrobeira. Mas estava no meio do terreno :( se tivesse mais encostada ter-lhe-ia transformado num belo bonsai gigante, mas assim... peço desculpa, muita desculpa. Resta-nos a sua terra fértil e negra. Bom seria se aquele pedaço de terra fosse todo assim. Mas não é! Temos um monte de pedras que vamos tirando, peneirando... e temos num dos lados terra calcária, que não presta.
O meu marido bem cava, as miúdas bem ajudam e eu ora ando de enxada na mão, ou de ancinho.
No fim de semana, bem preenchido, fomos a Tavira. Fomos à feira e almoçámos um bom frango assado com batatas fritas! Há décadas que não me via sentada num restaurante itinerante, mas soube bem! Muito bem... Houve tempo para ir à praia e em todo o verão, acho que foi o dia que mais apetecia estar na água. UM caldo... Maravilha.
E porque as miúdas madrugam, o dia parece que não tem fim e chegamos ao meio da tarde, com uma mala térmica carregada de podas de grama, que apanhámos na ilha. Contribuímos para a manutenção daqueles espaços e aproveitámos para plantar mais relva. UMa maravilha de se ver, todos os pedaços tinham raízes, e sendo relva de praia, resistente será.
E é tão bom ver que a relvinha que plantámos há 1 mês está a rebentar toda! Com esta é a 3ª investida no espaço que dedicámos à relva. A 2ª plantação, foi fraquinha, a relva não era tão boa, e fez uns dias de muito calor e quase nenhuma resistiu. Mas agora esta fornada parece-me bem, resta-nos aguardar e testemunhar pacientemente o florescer da natureza.
No domingo fomos ao mercado e comprei umas aromáticas, um pé de maracujá, uma arvore de lima e uma pequena oliveira.
Escusado será dizer que de regresso a casa, foi sempre a mil.... Queríamos acabar o dia saboreando do trabalho do fim de semana. E depois de arranjar parte dos canteiros, plantei alguns vasos que tinha e as 2 arvores. mais não conseguimos. E a sensação é maravilhosa. Arvores nunca tinha plantado. Indiscritível.
Aos poucos vou aliviar o meu jardim citadino e mandar para o campo algumas plantas que tenho, para ganharem novo brilharete.


Por casa, continuamos com as rotinas, com os TPCs e com diferentes fases das manas. A pequena atravessa uma fase que não tem sono, pudera, deve dormir uma boa sesta na escola, e decididamente não tem sono. Não tem sido fácil gerir, mas temos conseguido limas as arestas.


A maior, influenciada pela sua amiguinha e vizinha foi experimentar ginástica acrobática. Aquilo não é pera doce. Um pouco tarde para nós: 18:30 e termina às 20 horas. Não sou apologista de sobrecarrega-la, agora nesta fase nova de escola, regras e muito trabalho. Vi-a empolgada, vai novamente amanhã e depois vamos decidir.
Não esta nada a apetecer-me pagar uma pipa de massa com joias, seguros e inscrições para depois se fartar. É que o ambiente é de muita disciplina e trabalho.
Estou reticente.
E de resto, eu agora, como disse ando muito campónia, muito virada para esta fase engraçada, e a querer aproveitar enquanto não chove para adiantar, o que puder no jardim.
Este fim de semana será mais do mesmo e vamos comprar mais umas arvores para plantar.
Resto boa semana

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Para o fim de semana

indagamos e planeamos refeições, passeios e tarefas já que vamos de fim de semana para a casinha do campo :)
A C diz que quer jantar a sua comida preferida: carne picada com esparguete. Assim sendo, quando chegar a casa, depois de preparar o almoço e fazer o meu treino, vou ligar o turbo gastronómico de forma a deixar a carne preparada, já que a Bimby faz milagres. Assim é só chegar à casinha e apenas tenho o esparguete e a salada para fazer. Tenho adiantar também uma sopa, que depois é só aquecer no micro-ondas e voilá!
E preparar uma mala com roupa... Como vai estar calor, espero ir passear. O fim de semana serve para as "aciganar". Esqueçam o descanso, aqui não se descansa.
Hoje ao final do dia, tenho reunião geral na escola da mais velha e ainda tenho que voltar à clinica para orientar algumas coisas.
Fim de semana de campo é sinal de bolo também! Estou destreinada e tenho que me adaptar ao forno a gás que é o que tenho por lá! É melhor, isso é, mas ainda não me aventurei nos bolos.
O que eu queria mesmo era desencantar os utensílios que me faltam para começar a fazer pão no forno a lenha! Isso é que era.
Bom fim de semana!
Carla

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

E neste mês que se inicia

estamos superando o "choque" dos recomeços.
A C, por enquanto vai bem, se adaptando melhor do que eu imaginava.
Sei também que é cedo e que tudo se pode alterar de um momento para o outro
É uma menina de pouca fala, sei que tenho lhe dar tempo e espaço e saber gerir o silencio.
Este ano letivo, a Carla enfurecida nas manhãs tem estado muito adormecida, pois é o pai que leva a mais velha.
Sou a primeira a acordar e a ultima a despachar, mas é muito melhor este horário em termos de gestão doméstica.
Por essa razão, posso priorizar meu transporte preferido: bicicleta, e acreditem que é uma forma de começar melhor o dia. A pequena adora ser minha pendura e lá vai toda inchada no nosso ferrari 2 rodas-!
Para comemorar este recomeço, eu ofereci-me a mim própria um selim lindo de morrerrrrrr, que andava a namorar há N tempo. Sempre tive o bichinho da bicicleta e fico realmente feliz de puder usufruir deste estilo de vida. ~
Agora que a maior entrou na primária, meu tempo está estrangulado. É difícil, imagino para as mães que trabalham a tempo inteiro e que final do dia, têm tudo para gerir, porque quando a C sai da escola, inicia-se o mesmo filme que tento diversificar sempre que posso: é apanhá-la na escola, irmos conversando a pé até casa, dar-lhe o lanche pois mal almoça na escola e vem esfomeada, acompanhá-la nos TPCs e depois sair para ir buscar a irmã.
Enquanto o tempo está bom, já deixei completamente de lado a ideia de lhe inscrever numa atividade, pois acho que já tem uma carga excessiva e ela precisa é de brincar. Então umas x, fazemos uma caminhada até à escola da irmã (meia hora para lá, outra meia hora para cá), vamos parando, apreciando a natureza, vamos inventando jogos, rimas e afins....Ora vamos dar uma volta de bicicleta e paramos no parque para brincarem, ou vamos, como hoje dar um mergulho de piscina (tempo louco este).
Evito ao máximo as atividades passivas, e tento que não haja TV em casa, pois se se metem de sofá, ali ficam viciadas e ã vida passa ao lado. Depois quando acordam do feitiço querem aproveitar para fazer aquilo que normalmente fariam, caso não se metessem a ver tv e aí irrompem as birras.
São duas casas para gerir, sendo que o apartamento tem ficado para 2.º plano, coisa que não devia acontecer pois é nela que vivemos diariamente. A roupa acumula-se e existe sempre aquele limpeza mais profunda que se tem que dar e precisa haver disciplina para fazê-lo. Tenho adiado as arrumações de roupa e ainda bem, pois o calor continua aí e eu já não sei o que vista às miúdas.
Por outro lado, é no fim de semana que há mais disponibilidade e temos ido passa-lo à casa do campo.
Então lá se depositam minhas energias e ando sempre aspirando, limpando, regando que quando chego à outra, a vontade já é pouca.
e assim vivemos se vive por aqui
bom fim de semana

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

A precisar socializar

hoje sinto-me um bicho. A clinica está vazia, não me apetece ler, estou cansada.
Olho lá para fora e vejo o tempo, um sol quente atipico de Outubro. O tempo está todo marado...
Apetece-me apanhar a minha bicicleta e sair fora daqui, apanhar vento na cara.
mas ao contrário, vou correndo para casa, se quiser fazer o meu exercicio fisico, sozinha, enquanto o almoço se faz.
a minha companheira vai ser a tábua passar a ferro, isso se tiver algum tempo antes de ir apanhar a mais velha que hoje sai às 15:15h.
espero que o humor se ilumine.
fui

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Feira

Ontem era o ultimo dia de feira na minha cidade. Mas poder-se-á apelidar de feira, um amontoado de carroceis e uma dúzia de bancas com peúgo e malas?
Lembro-me que no meu tempo, sonhávamos com a feira. Era inicio de escola, marcava o inicio do Outono, era tempo de receber as "feiras" comprar alguns doces que só via na feira, tentar a sorte nos peluches. Deleitar-me perdida no tempo com os vendedores ambulantes do microfone, que vendiam mantas, toalhas e tudo o que se podia imaginar, onde se amontoavam pessoas naquilo que era um espetáculo de venda que só se via nas feiras.
O cheiro a ovas de polvo misturado com os churros. A velhinha Selva ainda perdura! mas os póneis que andavam num carrossel vivo esse está extinto e também já não se vê o circo na feira.
Pelo menos aqui. Na minha infância eu morava a metyros da feira e era uma loucura atravessar a linha do comboio e ir correndo comprar fichas para os carrinhos de choque!
Ontem, depois de muitos e bons anos voltei a andar de carrinhos de choque com as miúdas! O pai com uma, eu com outra! A pequena não achou piada, mas a maior delirou quando me fazia marcação cerrada compreendo o objetivo da "brincadeira"!
A feira extingui-se no meu concelho. Não se viu mais feira nos últimos anos. Foram enxotando os feirantes daqui para ali, a feira perdeu o seu encanto e interesse.
Este ano decidiram ressuscitar a feira, mas aquilo não era feira.
Comeram pipocas, andaram no carrocel, provei o pão de chouriço quentinho de lenha e pronto.
Fomos embora. Brevemente inicia-se o ciclo de feiras em outras cidades, cujo tempo não apagou a tradição. Sei bem que os tempos mudaram. Que as pessoas já não precisam de ir à feira para encontrar aqueles materiais ou produtos que só se conseguiam nas feiras.
Mas ao menos, que sirvam para passear, proporcionar momentos de nostalgia aos adultos e felicidade às crianças.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Domar os instintos

Nas minhas reflexões sobre educação, tenho lido literatura variada, e uma das coisas que  captou minha atenção foi sobre o destaque às funções do nossos cérebro reptiliano.
Por outro lado, alguns autores falam de sair de cena (positive time out), coisa que tento fazer.
Ultimamente, e felizmente, tenho conseguido gerir o dia a dia com elas sem grandes tensões.
Mas existem circunstâncias que automaticamente accionam meu gatilho impulsivo, e como alguns peritos recomendam ( não reagir nos 30 segundos posteriores à situação) não me parecem ser suficientes. Meu cérebro reptiliano é terrivelmente acordado!

Trocando por miúdos: 
face a ter que gerir idas ao campo para manter a casa (regar o jardim (...) e não ter tempo para ir eu sozinha tratar das coisas, pois a maior sai muito cedo da escola, não me resta alternativa do que, trazê-la a casa, dar-lhe o lanche, orientar TPCs, ir buscar a irmã, e depois por ser de caminho, irmos à casa do campo....
Acontece que inconscientemente já estou à espera de resistência, afinal isso quebra as rotinas dela, que já está cansada e prefere ir para casa, então essa recusa inflama automaticamente o meu humor e não consigo mastigar estas birras em que me diz que detesta a casa do campo, que não quer ir, que esperneia e pontapeia o banco do carro.
Também sei, que esta é a sua primeira resposta, porque quando lá chega, fica fascinada pela terra e pelas ervas e pela água e agarra-se logo à brincadeira.
Mas isto inflama-me tanto, e parece uma sirene de um carro que ensurdece tudo e todos, que se cala, mas volta a soar o alarme instantes depois vezes e vezes sem conta
Como domar isto? Mas por que motivo não consigo ter serenidade mental para ter paciencia e não acender esta chama interna?
Moral da história: fui regar o jardim, ela quis, como previsivel brincar e eu não deixei, ela não queria obedecer-me, mas fui firme, lamento a aspereza, mas em situações tensas (por vezes) não consigo ser firme e calorosa. Exprimi o meu desagrado por ser sempre um problema ir a esta casa, e dei-lhe a escolher se queria ficar por mais tempo na escola enquanto eu me ocupo das minhas tarefas e obrigações, OU ir comigo e ajudar-me nestas tarefas. Elas só me diz porque estou tão chateada e que amanhã já não me lembro... por fim pede desculpa. Eu sublinho que a adoro, mas que fico chateada com essas birras que faz.
Não seria mais fácil, ter discernimento para não me inflamar à sua primeira reacção de recusa? 
Treinar, treinar, treinar.... um dia vou conseguir!

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Reflexão do dia


As relações afetivas constroém-se, não são fruto do mero acaso....
As pessoas vivem emocionalmente distantes, ora alienadas, ora sofrendo pelo problema dos outros e ignorando-se a elas próprias.
Vivem silenciando as suas emoções, porque só a elas diz respeito.
Querem união, valorizam laços de sangue, como se as emoções não tivessem que ser regadas, hidratadas e oxigenadas...
Vivemos na era do Ter, das comparações e da competitividade....
Não é dificil concluir que vivemos sós, insatisfeitos e vazios, com medo de fracassar e não ser suficientemente amados e reconhecidos...
Adoece a natureza básica do ser humano, vivemos em desequilibro.
E a felicidade floresce de coisas tão simples e gratuitas... como olharmos para as nossas crianças interiores, desligarmos por momentos as televisões, os ipads, as playstation e reaprendermos a admirar as coisas simples da vida.
Para além da constatação, é urgente (re) agir.
E as nossas acções deveriam começar em casa, com os nossos filhos. Porque não deixarmos a cozinha desarrumada e nos sentarmos no chão com as nossas crias a conversar, brincar, tocar, beijar (...)
porque não deixar o passeio ao shopping e caminhar na natureza?
Há tantos prazeres grátis que desaproveitamos...
Não procurem no exterior e em terceiros, aquilo que é imperativo começar em casa
Eu estou tentando, com erros e aprendizagens, fazer a minha parte, e vocês? 

Por Carla Santos
Psicologa Clinica

Projetos

que sentido tem a vida se caminharmos em direcção a nada?

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Mes depois de promessas

jogadas na chuva...
acontece que a vida por cá tem sido um rodopio de emoções, novidades e readaptações que me ocupam as maiores energias diárias.
Depois de 1 mês que prometi voltar à escrita, muito aconteceu.
Minha casa de campo está mais que pronta. Estamos decidindo partir para a area exterior. Fazer um jardim, plantar algumas plantas e arvores e.... projetar algo com agua. O meu marido é que se tem ocupado destes planos e anda estudando qual a melhor opção em termos qualidade/preço. Logo chega mais uma fase de trabalho, mas nós nos movemos por isto! que fazer?
Para além das filhotas terem reiniciado a escola, a minha mais velha entrou para o 1. ano. E todas as minhas energias se tem dedicado a esta fase, para amenizar esta transição, mas também para eu ter uma oportunidade de sarar minha infância, meus 1.ºs dias de escola, que foram  com lágrimas e ansiedade, pois a minha pré-escola foi a rua, o barro, a terra e os vizinhos, nem num lápis eu sabia pegar.... então eu tenho dialogado muito com a minha filha, a fim de nos sintonizarmos uma com a outra. Para já não tem corrido mal. Ela entra cedo na sala de aula e na 2ª semana começa a mostrar um pc mais resistência para se levantar.
De saúde vai bem. Repetiu os exames aos ouvidos e o verão fez milagres! Ouvidos limpinhos, mas com a indicação de estar mto atenta as constipações, ranhos e afins.
Também as minhas filhas completaram os seus aniversários: a pequena 4 anos, a maior 6!
A pequena é um ser de luz sereno e tranquilo, continua pequenina, é a minha morena. Não se ressentiu tanto como o regresso, porque se manteve na mm sala, com as mesmas educadoras, mas é claro que a sinto mais carente, que precisa de mais mimo e atenção.
Quanto a mim, aos poucos vou conseguindo retomar algumas coisas que me dão prazer: o meu espaço ao almoço para treinar e ficar despachada para o resto do dia. Continuo a trabalhar a part-time, continuo a ser uma mãe a quase tempo inteiro. Portanto qualquer esforço que eu faça é para regar a nossa relação. Não quero que as minhas filhas sejam insatisfeitas e famintas pelo TER, por isso a minha missão será sempre jogar-me aos desafios e exigencias do tempo moderno, de forma a calibrar tanta incoerencia na educação.
Fora isto, sou pouco exigente, desde que consiga ter algum tempo para algumas coisas que quero voltar a fazer, como fotografar, tudo ok.
Vou aparecendo. Bons recomeços para todos

sábado, 23 de agosto de 2014

Voltei

grande ausência... acho que nunca tive tanto tempo sem escrever no meu blog
Minha "casa" está meio abandonada, mas prometo voltar em força muito brevemente!
Novidades: casa de campo finalmente concluída!
Que grande trabalheira tive, muita mesmo... mas o resultado agrada-me.
Logo postarei algumas fotos.
De momento estou de férias, com as minhas filhas, 2 casas e algumas viagens até ao trabalho para por trabalho em dia, chega final do dia e já não há energia para grandes coisas mais.
Como em todos os Verões, este não é excepção e temos aproveitado muito as praias desertas e paradisíacas que a nossa Ria formosa nos oferece à distância de um pequeno barco pneumático.
Foi, realmente a compra de 2013. Não há chatices, filas, gente amontoada.
Pena é que o verão de agosto está uma porcaria e só apanho com vento e mais vento e agora que a água até está mais quente. As vespas também estão em força e são más! Sim, picam sem razão.
Estou sempre a dizer que não se faz mal, que devemos ficar imóveis até elas irem embora, mas picam, as desgraçadas picam por picar. Então eu que sou alérgica, fiquei quase uma semana com a perna toda inchada, um hematoma enorme que me dava uma comichão tremenda.
Agora foi na mão, mas o santo marido já leva um kit, e esfreguei logo alho, suco do alho e depois uma pomada anti-histamínica e para meu espanto, a picada ficou circunscrita. Não foi como o ano passado que me apanharam o dedo e levei diassssss com o dedo inchado e com aquela sensação de cortiça!
Com as crianças em casa, toda a minha rotina foi alterada. E os meus treinos têm sido muito irregulares o que não abona em meu favor, pois sinto direto no meu humor e no peso: emagreço e perco musculo :(
Prefiro entregar-me à resignação, e pensar que esta fase é passageira e quando as miúdas reiniciarem o ano letivo, tudo entrará nos eixos.
Fruto da conjetura, sinto-me mais stressada e tenho dificuldades em afastar determinados pensamentos e preocupações que circulam em meu redor.
As vezes ponho-me a pensar que tenho uma genética terrivel e que tenho que me "por a pau" e por em prática aquilo que aconselho aos outros....
Preciso cultivar a paciencia e relativizar as coisas, urgentemente.
Não me consigo entregar à meditação, tenho dificuldades em cortar com os pensamentos, pois é tanto coisa para gerir, que receio confundir determinação com fixação.
Mas enfim, vamos sobrevivendo em família, em união, com aprendizagens diárias.
As minhas rainhas estão crescidas! Muito amigas e companheiras, têm os seus momentos menos bons mas quem não os tem?
A maior vai para a escola primária! Já?????? Com toda a sua sensibilidade, espero que consiga adaptar-se sem muitos percalços.
A pequena é um belo e doce chafariz! Cativa tudo e todos, desenrascada é um ser de luz livre.
Boas férias de for caso disso
Um até já

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Hoje apaguei

ultimamente sinto-me mais com aquele nervoso miudinho. Espero que sejam as circunstancias, pois o peso genético é enormeeeeeeee! Credo, chega para lá :)!
ontem acabei o meu dia à hora de jantar com uma enxaqueca à porta. Derivada do cansaço e gestão de birras parvas combinadas com a minha teimosia em ir tremer o corpo (quando não tenho tempo para o meu treino, é corrida ou vibroplate). O meu gymn estava um forno, o sol a bater na janela, foram 10 min de horror que pioraram a minha situação.
Para melhorar, não tinha paracetamol em casa. Decidi entregar-me à cama e dormiiiiiiiiiiiii, com algumas interrupções iniciais por conta da pequena, hoje tenho a cabeça oca.
Mas as dores cabeça passaram.... Preciso me alimentar melhor, e respirar melhor ainda.
fui

terça-feira, 8 de julho de 2014

Hoje sonhei

que estava grávida...
concerteza estou grávida de projetos a crescer, da minha casa nova, só pode.
Sp pensei ir ao 3.º, mas dada as circunstâncias e o meu estilo parental, acho e sinto que neste momento não se encaixa. Agora começo a ter um pouco mais e "descanso" relativo, as 2 são muito amigas e já se entreem mais tem po uma com a outra.
Acho que vou descansar agora... não sei se a vontade surgirá novamente mas creio que se fecha essa página.

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Experiencia

fui buscar a minha filha C depois do almoço. Fiz o meu treino às pressas dps do trabalho e corri para a pré.
Eufórica, feliz, contente, deslumbrante... fomos de mãos dadas para casa. Disse-lhe que tinha uma montanha Evereste de roupa para passar e que teríamos escolher alguma atividade para fazer.
Levámos a sua mesinha para a sala + os materiais e ali ficou, depois de um belo lanche às 2 da tarde. Nem quero pensar na fome que passa esta criança na escola...
Eu fartei-me de tanto passar a ferro e ela entreteve-se a fazer os seus trabalhos e sempre a inventar mais uma e outra coisa ao ponto de ficar meio aborrecida por dizer que tínhamos sair para ir buscar a irmã.
A mana agora passa os dias numa quinta com piscina e isso tranquiliza-me. Com ela não me preocupo, não tenho razões para...
O que gostava mesmo é que aceitassem a C no ATL, mas não podem aceitar só no Verão. Uma pena mesmo.
Amanhã quero ir para a minha casa de campo. Quero esfregar os ladrilhos do wc e o hidráulico para puder ficar tudo impecável a secar para receber o impermeabilizante.
Nem quero pensar em banhos naquela casa de banho sem ter tudo impermeabilizado....
não sei como me organizarei amanhã. Hoje não foi má a experiência... estou tentada a levá-la para ver como corre a coisa.

domingo, 6 de julho de 2014

E quando eles dizem que não querem ir à escola?

O tempo anda estupido. Onde já se viu a entrarmos na 2ª semana de Julho e fazer estas friezas e ventanias?!
Tenho saudades... tantas saudades da praia, do mar, da areia. Por estas alturas estava fartinha de ir para a praia, mas com tanto vento a soprar daquela direcção, esquece! Tem valido a piscina da sogra onde as miúdas se entretêm como  doidas loucas.
Agora já vão ligando mais à avó, e a avò tb tem mostrado mais disponibilidade para elas, então eu bem poderia ficar mais descansada, porém.... acho que elas são umas abusadas e estou sp de olho, pois não me sinto confortável estar de papo ao sol e a sogra andar correndo cá e lá com elas, satisfazendo todos os caprichos das pequenas.
Devo ser uma anormal, só pode.
O ano letivo terminou oficialmente, mas a maior tem o prolongamento e portanto usufrui do mesmo. Acontece que talvez mais d emetade do grupo de meninas da sala dela, não usufriu.
Palavra honra não sei como se gere isso, ou está tudo desempregado, ou tem avós que cuidem dos miúdos, não sei.
Agora não quer ir. Já lhe disse que ia só mais esta semana, e embora faça tudo pela miúda, ande a trabalhar apenas a tempo parcial para as apoiar, tenho sempre pairando um sentimento de culpa, porque estando muitas x livre a partir do almoço só lhe vá buscar ao lanche.
Mas como eu posso gerir as coisas, as limpezas e todo o tempo que tenho dispendido na outra casa com ela.
Não posso cair na tentação, pois quantidade não é qualidade e quero muito meter na cabeça que ela não se pode queixar, que é sp a 1ª a vir para casa, mas ela compara-se com os outros meninos e realmente deve ser um pouco dificl entender o porquê de ficar e os outros não. Pelo menos para ela.
Amanhã vai ser birra na certa. Ainda para mais que a irmã vai passar o dia na piscina na escola dela.
Desejo que a minha semana seja produtiva e que não hajam problemas.
Ando um pouco dramática, é um fato.
UMa boa semana

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Inconformada

Por mais que tente, não consigo conformar-me,
A distancia será sempre a melhor estratégia, mas mesmo assim meus pensamentos são invadidos por esta incompreensão.
Que desígnio foi este? Será que há ponta que se pegue a nível da minha família direta?
Já só falo de pais e irmãos. Que pena, que tristeza.
Precisava tanto?
MInhas ricas filhas, eu adoro-vos. Terão sempre o meu apoio, a minha presença, os meus conselhos e orientação... Longe de mim querer um dia, dar-vos trabalho e ralar-vos.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

INédito digno de registo. rascunho finalmente partilhado

e foi este fim de semana. ( o de há 2 semanas lol)
Sim, foi neste fim de semana que a minha C pediu para ficar a dormir na casa dos avós! Seria para mandar uns foguetes???
Eu, confesso que não estava à espera daquela determinação e em vez de ficar feliz, fiquei foi em completo dessassossego.
Não podia ter tido uma preparação prévia? É que meus senhores calhou muito mal.
1.º porque havia combinado ir ver o espetaculo de dança das minhas queridas e ia só. Só como quem diz: sem marido, acompanhada pela minha irmã e sobrinha. Sim porque nestas coisas para um ir o outro tem que ficar em casa com as miudas....
2.º queria, quando este momento chegasse, ir sair descansada com o marido, jantar  e fazer alguma coisa diferente.... em vez disso só pensava no que se ia passar.... Sem fé que as miudas ficassem, pouco convencida que ambas quando chegasse a noite quisessem os pais.
Não descansei enquanto não ouvi da boca do marido que ia ficar lá, até pelo menos elas adormecerem.... depois disse-me que ia lá dormir! ahahahhaha.
Eu fiqueo sem saber o que fazer: ir para casa depois do espetáculo e dormir sozinha ou abalar para o campo.
No intervalo do show, mandei sms e o pai diz-me que as miudas já dormem! Ligo de seguida e ficaram com a avó, ele não interviu em nada e deixaram-se dormir!
De regresso, já tarde, não sabia que direcção seguir. O coração falou mais alto e fui para a casa da sogra, não ia dormir sozinha, ainda se fosse com o marido!
Isto parece comédia, um acampamento de ciganos ali. Cheguei e fui espreitar, dormiam e a avó lá estava com elas. Disse-lhe que podia sair, que elas ficavam bem, mas não me deu ouvidos e dormiu a noite com elas! Uma festa.
Quem não dormiu nada fui eu! Raios, estranho sempre as camas e acordei imensas vezes.


Ps este texto escrevi-o algures perdido entre o tempo e não tenho vindo ao pc. Edito porque merece ser registado.


estas dias de ausência têm sido passados num sitio só, que não é difícil adivinhar: a casa nova! A obra finalmente terminou, já se fez um almoço para todos os trabalhadores no fimd e semana passado e agora é tempo de acertar limpezas e muitos pormenores.
Já tem ar de casa e não posso pensar no que ainda falta fazer, mas o que já foi feito.
É claro que eu gostaria de puder estalar os dedos e conseguir compor todos os cantinhos tal como os imagino, mas o dinheiro não dá para tudo.


amanhã é 6ª feira, dia de festa final do ano letivo da mais pequena.
espero não ficar tanto tempo ausente, mas aquela casa não me sai dos dedos, nem da cabeça.


fui

quinta-feira, 19 de junho de 2014

A minha finalista

inacreditável! há tão pouco lutava para que tivesse a minha menina na minha barriga crescendo em mim e agora, só assim de repente, recebi o convite da pré para ir assistir à festa final do ano letivo.
Foi um ano de mudanças. Mudou de estabelecimento de ensino, ficou mais vulnerável e desprotegida.
A adaptação apesar de rápida foi dolorosa. A minha C é uma menina mais reservada e retraída e com anos luz de inocência e pouco desembaraço social. Com o tempo foi-se adaptando, mas tem sofrido na pele, e eu (baixinho) com ela. Apesar de todo o encorajamento e reforço, sinto que a minha filha é uma criança insegura e ansiosa.... Em termos escolares, muito perfeccionista, empenhada e persistente, mas também instável. Tanto é participativa, como se distrai com tudo e muitas vezes não consegue compreender as instruções dadas pela educadora.
Em termos sociais, a minha C colou-se a uma menina que faz dela sapato. Alimentam-se mutuamente: uma manipula e outra obedece. Surgem queixas da minha, que a tal amiga não quer que ela seja amiga de mais ninguém, ora lhe despreza e lhe trata mal. O meu coração fica despedaçado e tento averiguar o que é real do fantasiado, sempre tentando incentivá-la a resolver os seus problemas e assuntos.... Depois tento perceber esta dinâmica e vejo que a minha filha anda sempre atrás da outra.... quando não a vê procura-a.... enfim! não era isto que eu projetaria numa menina minha, mas o que hei-de fazer? Apoiar, guiar, orientar e tentar minimizar estes traços de temperamento, pois ela é assim....quero muito pensar que se trata de uma questõo de imaturidade que vai ser atenuada no tempo.
Mas tenho preocupações no espirito. Por vezes tenho receio que não consiga acompanhar o sistema escolar, pois como é calma e não levanta "ondas" pode passar muito bem despercebida e se mantiver este comportamento instável pode ter dificuldades... Mas um dia de cada vez, não posso ralar-me com o futuro, mas em relação a esta menina, tão desejada e planeada, sinto sempre que faço pouco por ela.
Estou sempre em desassossego para a ir buscar à pré, é sp a 1ª a vir para casa e a irmã que é mais pequena lá fica. mas também deve-se ao facto de estar bastante satisfeita com o local onde coloquei a pequena, sinto que está bem e que á hora que a vou buscar está a brincar no parque com os amiguinhos.
Já a imagem que tenho da maior, é estar no prolongamento, à espera que eu chegue, sozinha ou vendo tv. Não fazem nada com os miúdos, incrível: ou andam à torreira do sol, ou estão no polivalente  a ver filmes. Não come nada na pré :(. Já de si é esquisita com a comida, e então leva o dia sem comer quase nada, qdo chega a casa vê-se mesmo que a menina está faminta.
Não sei se é estratégia psicológica para eu me sentir pressionada a ir busca-la, não sei.
Só sei que amanhã vai vestida de gala para receber o diploma e eu vou estar lá para testemunhar mais esta pequena/grande etapa da vidinha dela.
A infertilidade crava-se no espirito, sinto isso quando me abordam em relação à dependência dela, não sei se se deve ao fato de ter sido tão preciosamente protegida ... a nossa relíquia.
Adoro esta menina!

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Desejos

comeco a conseguir imaginar a minha casa finalmente decorada.
E nesta fase, acho que apenas queria uma carteira bem recheada para puder operacionalizar todos aqueles flashs que tenho quando entro nesta casa!
Que dia bem passado teria! Sonha, sonha, sonha, dream dream dream

terça-feira, 17 de junho de 2014

Carla e a bricolage

a minha Camera fotográfica anda a perder os progressos da minha "barraca".
desde que cheguei do fim de semana prolongado em que fui passear com as minhas filhas e tive que me meter às pressas no pc para aproveitar uma promoção de posters que terminava naquele dia, apanhei uma intolerância às fotos e não tenho tirado nada. Mas isso vai ter que mudarrrrrr!
Carla, a carpinteira! Soalhos de madeira tratados, portas envernizadas :) falta retocar as portas com uma demão de tinta branca para as pudermos colocar no sitio!
Neste momento, não tenho mãos a medir e tanto ando de aspirador na mão, como vassoura no exterior, e dá uma lavagem às portas da rua, ora esfrega algumas pintas de tinta do chão....
Hoje, encavernei-me novamente pois só tinha que ir trabalhar ao final do dia!
Muito produtiva esta fornada! Sinto-me realizada! :)
Hoje o cardápio foi carla a pintora! lol. Fui testar uma cor nas molduras da casa e comecei por uma zona mais escondida, pois se aquilo não resultasse seria mais fácil disfarçar... acontece que saiu bem e 1ª demão está dada e aprovada e é para continuar.
No alpendre pintei também as molduras de ocre, um amarelão alentejano :) e embora o corpo dê sinais de cansaço, a febre não me deixa parar, e só quando não há hipótese tenho que parar.
Agora sim, começo a ver algo mais palpável, começo a saber por onde devo me mexer e concentrar.
Este será o meu trabalho nos meus tempos livres: pintar. Pintar paredes, pintar minha cama de palete!
De resto as coisas vão andando. A minha filha C anda numa fase mais débil, não se alimenta corretamente na escola vai de mal a pior com a alimentação! Com a concentração já nem abordo, porque tem sido uma aluada, vive no mundo dela e tenho tido algumas preocupações que serão tema de um outro post.
Esta semana vai a consulta para fazer o exame global de saúde. Não acredito que a minha menina vai transitar para o 1.º ciclo! Na 6ª feira finalmente vamos a consulta de alergologia, depois da festa final do ano letivo.
A pequena continua pequena e engraçada, muito espertalhona, não me dá trabalho nenhum comparado à irmã.
Vou dando noticias, menos assíduas, mas elas virão, com certeza.
Boa semana

quarta-feira, 11 de junho de 2014

E depois das obras?

Praticamente o meu tempo livre é atualmente dedicado à minha casa.
Sim, à casa que reconstruimos quando menos esperávamos, agarrando uma série de fatores que culminaram no arranque desta obra inesperada.
A casa em si, está concluída, mas ainda existem um cem nr de pormenores para tratar: partes da casa que precisa dar 2ª demão tinta, cuidar das pedras naturais, do hidráulico, portas e toda a madeira foi colocada em bruto, ou seja, esperando por uma oportunidade para ganhar nova vida rustica.
O exterior também precisa de terminar pavimento de algumas partes e fazer base chuveiro exterior e pintura, molduras... ahhhhhhh
mas que trabalheira tão grande. Tem sido cada dose. Tudo tem sido feito por etapas, mas agora a casa precisa dar uma grande reviravolta no interior.
Os materiais que escolhemos foram os mais rústicos possíveis. terracota manual, pedra e madeira....
Mas para tratar? tem sido uma grande odisseia.
Fizemos algumas asneiras por pura e santa ignorância. Meu marido com tanto pó e restos de
obra, começou a ver que não se safava com varredelas e começou a lavar o chão com mangueira! Pareceu-me uma ideia inteligente, mas apercebi-me que foi um grande erro que cometemos. O ladrilho depois de assente tem que estar pelo menos 1 mês nos mínimos dos mínimos sem levar água. Mas ele levou litros e litros de água sem destino e agora sendo um material tão poroso, está manchado, com muitas eflurescencias por todo o lado :) inicialmente pensei que era normal, que era porque o chão estava sujo e poirento, mas agora comecei a perceber que se deveu a isso, pois só agora na fase pos obra me interessei em saber quais os métodos mais adequados. Nunca pensei, nunca imaginei e também não me informaram convenientemente. Apenas me disseram que teria que esperar por tempo quente para dar um impermeabilizante, mas ninguém me informou que o chão não podia levar água. Fiquei chocada e desde aí há proibição de molhar mais este chão.
Por enquanto não sei como vou resolver o problema ou minimizá-lo. Mas há muito que fazer, por isso....
O soalho dos quartos é todo em madeira e aqui tenho outro grande problema... Foi pisado e espezinhado por toda a gente naquela obra, eletricista, pedreiros, serventes... deixaram-me o chão numa lástima autêntica, sobretudo nas zonas de passagem... Negro, marcas negras que não saem por nada... tivemos mesmo que lixar mais essas zonas para disfarçar pois por mto que esfregasse nada feito :( dps decidimos dar um óleo biodegradável mto conceituado e andámos os 2 hoje de rabo para o ar a espalhá-lo à trincha.... A madeira chupou aquilo tudo, qual puxar lustre qual quê.... não queria passar o verniz, mas estou a ver que não vou ter outra hipótese. Ainda para mais porque estamos a pensar rentabilizar a casa para férias.... Uma coisa somos nós, os donos, outra coisa outras pessoas, até me dói a alma.
As portas foram recuperadas, e hoje também foram pintadas. Falta envernizá-las... As portas dos armários já levaram o produto de protecção contra a bicharada, mas precisam ser também protegidas com uma pelicula  de verniz mate.... Pensei em escurecer um pouco as madeiras da sala, mas o trabalho tem sido tanto que acho que vão ficar mesmo no ttom natural....
As paletes servirão de camas para os quartos de cima, e também já foram lixadas, e protegidas. Falta pintar as do meu futuro quarto que as quero de branco....
Sem pensar que teria esta maçada, e novamente por ignorância, tínhamos enchido uma divisão com uma série de peças de mobiliários, entre outras coisas, para depois decorar a casa.
Acontece que o chão de barro estava encharcado, coincidiu com umas semanas de mau tempo que não fomos à obra, qual não foi o meu espanto quando me apercebi que os ladrilhos estavam a expelir água e tinha uma série de coisas que estavam em contato direto com o chão, com mofo! Pois sim! mofo e chão manchado. Falta de ventilação, ladrilho muito húmido, foi este o resultado: toca a distribuir coisas pelas divisões fora do previsto, mas assim não podia continuar.
Como vêem tenho tido alguns contratempos, e queremos ir fazendo as coisas os dois. Com crianças é duplamente cansativo e complicado.
Entrei em fase paranóica, pois agora percebi algumas coisas fundamentais no tratamento destes materiais e não vejo a hora de impermiabilizar o chão e as bancadas que são todas de barro.
Não imaginam, parte-me o coração, ver aquela cambada ir aos Sábados trabalhar e andar com almoços e petiscos e a deixar cair coisas no chão.... Hoje olhei para o alpendendre e deparo-me com nóduas de gordura! Como as removo do barro não tratado?!!!!! Derpois são os timings, ando a ver se não molho o chão, para esperar pelo tempo quente e abafado e dar aí uma limpeza mais funda... só dps de 8 a 15 dias daí poderei dar o impermeabilizante. até lá,d evo ter as coisas todas lixadas....
Comigo nada é fácil... também assim se dá valor e se pode dizer que o que está ali feito saiu das nossas mãos...
Não tenho tirado fotos do antes e depois, até já mesas de cabeceira de troncos de amendoeira que andamos a cortar do terreno temos em plena fase de finalização. Como vêm trabalho por aqui abunda.
Conto muito em breve, puder respirar fundo e ficar satisfeita com o resultado final.
boa semana

segunda-feira, 2 de junho de 2014

O lado negro do cor de rosa

Este final de mês foi abrilhantado por várias comemorações. 1ª festejámos aniversário casamento, dps fiz anos e também o meu marido 2 dias depois.
Aproveitámos para comemorar e mudar de ares com uma escapadela. Planeamos ir ao Portugal dos Pequenitos com as meninas, mas como é uma viagem demasiado longa, decidimos fazê-la em 2 etapas, parando a meio do caminho. O meu marido foi quem tratou de tudo este ano, e o sitio foi muito bonito: quinta, natureza, animais, casa de sonho....(mosquitos, almofada estranha, etc, etc)
A minha C no dia seguinte madrugou com a euforia e eu acordei muito cansada. Passeámos, tirámos fotos e organizámos as coisas para nos metermos à estrada logo a seguir ao almoço.
Acontece que em viagens longas os vidros não podem ir abertos, o carro é escuro, logo precisa ligar o A/C. Ora apanhando calor e sol na roupa e ar frio simultaneamente fiquei constipada, um pingo que foi crescendo de tal maneira que gastei N pacotes de lenços e o resultado é ter neste momento, os lábios todos desgraçados, todos gretados.... enfim.. adiante.
Esta viagem pode-se considerar razoável, elas portaram-se relativamente bem, coitadas, tendo em conta que foram feitos 500 e tal km.
Quando chegámos a Coimbra, a pequena já delirava com as mãos na cabeça e tive que descer do carro e fazer o percurso que faltava até ao hotel a pé...
O hotel ficava no centro, perto de tudo, mas não deu para ver nada pois com as miúdas, elas mandam.
Nas ruelas de comercio, a C perdeu-se. O pai virou-se para ver a ementa dum restaurante, eu pensando que ela estava com o pai, ele pensando que ela estava com a mãe. Senti uma aflição tão grande que abri a goela e dei um grito que acho que entoou por coimbra inteira chamando pelo nome dela.
Pronto, foi o que bastou, e ouvi do outro lado uma sra a dizer: "Está aqui", Que alivio....remédio santo, andou o resto do tempo colada a mim.
Jantar é sinal de comer às pressas e portanto qual glamour de Coimbra qual quê! Comi uns pasteis de bacalhau e tive que me zangar com a maior para que comesse qq coisa, pois vive do vento.
Já na suite de hotel, tinha aquelas camas de gaveta. Por 2 x a maior caiu para cima da pequena e tive que levar a E a dormir comigo. Mais uma noite mal dormida...
Dia seguinte, saímos rumo ao Portugal dos Pequenitos. Fizemos uma caminhada, as crianças estavam super felizes, graças a deus. Chegados lá, a 1ª impressão da minha C foi de enfado. Só me apeteceu não sei explicar o quê! Tantos km, tanta maçada para depois levar com uma atitude destas. Sim porque a minha C facilmente se deslumbre com as coisas e quando finalmente as agarra, quebra-se o feitiço....
Adiante
Poucos instantes depois, lá entrou para a parte das casinhas à sua medida e ficou delirante. A irmã deleitou-se com a brincadeira e a C igual. Tiveram animação, palhaço, balões e murais....
Fizemos um pic-nic e voltámos para apanhar o carro.
Decidimos parar em Coruche, que tinha visto ter uma feira de cortiça e era um lugar agradável.
Mas as miúdas mm saindo dps do almoço não descansam. A pequena dormitou, a maior acho que não chegou a 10 min. Comprámos livros para colorir, levámos DVDs e nunca comeram tanta bolacha de chocolate a ver se conseguíamos chegar a Coruche.
Finalmente! Chegámos e levaram o resto da tarde de parque em parque, saltando, rindo e se divertindo. Eu nessa altura já parecia uma morta viva de fronha assada e ranho à bica.
Esperámos para jantar, com a certeza que a viagem de regresso, as fatídicas 3 horas e tal teriam que se feitas com elas a dormir.
Acontece que as 2 cansadíssimas ficaram com birra de sono e fizeram-nos a vida negra! Porque tinha calor, porque doía a barriga, porque doía a cabeça, porque queria sair... ao ponto de eu sentir o sangue a fervilhar e o pai ter errado numa saída... Passei-me dos carretes. Parámos o carro num sitio ermo, cheio de mosquitos e toca a tirar o bem-u-ron para fora e espetar nas moças.
Acho que só aí perceberam que fizessem o que fizessem, era para chegar a casa. Acalmaram-se e paámos na bomba seguinte para comerem um gelado.
Ah esqueci-me que a meio do caminho, o meu marido encostou a roda a uma bomba de abastecimento e a roda rasgou-se. Situação mais parva... Toca a mudar a roda....
Finalmente já com bastante breu, as miúdas adormeceram e nós seguimos sem parar... Estava com uma dor em todo o lado... cervical, costas, rabo.... a C ainda acordou mas estávamos a meia hora de casa e finalmente o pesadelo da viagem terminou... foram para a sua casa, vestiram pijamas, lavaram os dentes já depois da eia noite e no dia seguinte acordaram como se nada fosse....
Eu é que fiquei nas ultimas: dps do anti viral que tomei, fiquei ainda pior, talvez mais debilitada por isso houve cardápio de constipação, falta de energia, sensibilidade nos dentes.
Estou podre senhores...
Mas bem, a viagem cor de rosa é testemunhada pelas lindas e intermináveis fotos que tirei, os pormenores obscuros ficam em registo....
DO ponto de vista delas, estão muito contentes, divertiram-se muito e as birras monumentais são passageiras, apenas um meio para atingir um fim
agora eu que me lixe.... não tenho vontade que retomar as minhas rotinas, estou cansada e a minha cansada está caótica, e claro, emagreci aquele quilinho que tanto me custa a ganhar....
boa semana para vocs também

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Só por acaso Parte II

Só por acaso, mesmo por acaso escrevi o post anterior e sai-me uma m**** na cara junto aos queixais. 1.º pareciam 3 pequenas borbulhas tipo picada de inseto, depois veio a comichão e dps veio o alho que por x esfrego quando se sai estas porcarias na cara, depois continuou a comichão, o prurido aumentou, as borbulhinhas alastraram, e fizeram uma obra na minha cara que só visto.
Sou anti medicamentos, mas a impressão era tanta que decidi ir à Farmácia....
Cheguei à farmácia e a rapariga diz-me prontamente que isto é Zona! Fiquei aflita e muito preocupada. Disse-me ainda que tinha que procurar um médico pois a medicação é cara.
Cheguei a casa e fui pesquisar à net.... andei o dia inteiro aluada só a pensar nisto.... tinha um médico na clinica ao final do dia e portanto seria esperar e desesperar....
Fiz uma consulta de corredor, nem me observou, partindo do pressuposto que já estava diagnosticada. Comprei umas gotas homeopáticas para o efeito e um óleo para secar, é sp bom ter amigas que opinam favoravelmente.
Andei o dia de anteontem completamente irritada com isto.... já novamente em casa, falo com uma médica, que muito generosamente perde o seu tempo para tentar me ajudar no pc... envio fotos...
diz-me que á partida parecia zona, mas depois de alguma conversa fica com reservas....
Sensibilizou-me sobre o problema e deu-me outros possiveis diagnósticos q muito agradeço.
Pessoalmente acho que não é zona. Porque zona afeta um nervo, e portanta a extensão é sempre de um lado e não leva tanto a sarar,
Acontece que eu, volta e meia sofra destas m*****, em menor proporção, aqui e ali.
Claro que não durmo descansada, porque isto foi um basta. Estou farta de andar assim. Ora muito bem, ora do nada a aparecer-me estas porcarias....
Marquei consulta com o meu médico de familia que não empatizo nada.... Certamente não me vai ajudar nada, mas espero puder trazer algumas análises e se se dignar olhar para mim me possa dar um feedback.
Passo seguinte: dermatologista. Vou exigir que me consulte. Sim, porque como somos colegas de trabalho, as coisas são sempre feitas em cima do joelho e eu preciso de respostas: Quero saber o que eu tenho! Se é algum virus, se é algum fungo.... se for preciso fazer biopsia que faça....
Depois é ao alergologista. Tenho que de uma vez por todas despistar as alergias, uma pessoa que anda sempre com sensibilidade cutânea como eu, que volta e meia anda com comichão na cara como eu, que do nada lhe sai erupções cutâneas, não pode ser apenas uma cara de eterna adolescente em obra.
Quero respostas.

e pronto para finalizar em beleza, apesar de vivermos juntos para lá de 14 anos, hoje comemoramos 1 década de casamento.
Parabens para nós!

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Só por acaso - sobre minhas terapias

me deparei com uma visitante a perguntar-me sobre auto-hemoterapia. Pois este ano não fiz nenhum ciclo de auto-hemoterapia, pois este ano ando completamente "desgraçada" com alergias e afins.
A auto-hemoterapia resultou muito bem em mim. O meu objetivo principal sempre foi reforçar a minha imunidade e "curar" meus problemas dermatológicos.
Pesquisei muito, falei com pessoas no outro lado do atlântico que se prontificaram a me esclarecer sobre a técnica e decidi avançar, o que tinha a perder?
Fiz uns meses de auto-hemoterapia e a recuperação da minha pele foi magnifica!
Como disse, também foi um ano que não senti alergias, que agora, não sei, evoluíram negativamente.
Aconselho a técnica, a desvantagem é ser um pouco invasiva e chegar a determinada altura em que se está farto de andar nisto.
O meu maior problema foram as aplicações. Se por um lado tive uma sorte danada de ter um sogro que fazia, antigamente, por prescrição médica o chamado "auto-sangue" a pacientes (é enfermeiro), por outro foi um pau de 2 bicos, pois burro velho não aprende línguas e quis fazer à maneira dele. Aceitei no 2.º ciclo por respeito, e para experimentar, acontece que me senti nas mãos de um "carniceiro" e passei mal porque rebentei uma veia... nada que com a experiencia de quem me aplicava não tivesse sido logo resolvido, mas imagino nas mãos de uma pessoa menos experiente.
Esta técnica exige conhecimento e rapidez na aplicação, por isso tem que ser com uma pessoa que esteja treinada para o efeito.
O meu sogro já não a faz, só me aplicou a meu pedido.
pelo que constatei não existe muito conhecimento sobre a auto-hemoterapia aqui, mas se pesquisarem, vão com certeza encontrar quem faça as aplicações.
No meu caso fiquei um pouco desapontada, não com a técnica, mas sim com as condições de aplicação.
Se arranjasse alguém, talvez voltaria a repetir, pois os benefícios são mais que muitos.
Fiz análises após as aplicações que o comprovam, bem como a minha pele.
espero ter contribuído de alguma forma para esclarecer sobre o assunto.
Se quiserem mais informações, podem deixar contacto (mail) que assim que puder respondo.

Saudades?

Já deu para perceber que ando ausente do meu blog...meu cantinho dos desabafos e partilha.
As novidades não são muitas, não ando com vontade de escrever.
O meu marido ofereceu-me no dia da mãe uns novos programas de fitness que ando a seguir e que me ocupam o tempo livre. As atividades extra-curriculares da maior fazem andar sp à pressa e sem tempo para orientar as coisas como quero.
Existe um desequilibro que se gera com 2 casas: e se dou mais atenção a uma, a outra fica para trás, e as rotinas não desaparecem por magia.... A roupa para tratar é sempre mais que muita e fazer as refeições em casa: almoço e jantar, mais sopa a toda a hora, era o programa ideal da dona de casa, não saia da cozinha nem da tábua passar a ferro.
O meu marido anda mais ocupado com a obra, e portanto sinto logo quando não tem tanta presença (ajuda) doméstica na nossa casa.
as miúdas estão mais ou menos bem.Temos a nossa C aluada, temos o E desenrascada.
Aguardo o resultado das análises da C para saber se o problema dos ouvidos pode ser agravado por questões alérgicas e o que vamos fazer no passo seguinte.
A E é uma fofinha linda.
boa semana!

sábado, 3 de maio de 2014

Como andamos

a coisa esteve preta com o meu marido ao ponto da médica dizer que seria melhor ser observado nas urgências e fazer exames complementares. Felizmente as coisas estão melhores e era um falso alarme, por agora já se está a recuperar.
Tenho estado com as minhas filhas, pois a escola da pequena encerrou no dia 2 de Maio. Nada que eu não faça, mas este embate de tudo para mim, deixou-me exausta confesso. Não é fácil ser mãe 24h/dia.
Ontem estreámos os caracóis :) já que no feriado tivemos que adiar, o pai estava de rastos ainda.
Não tenho escrito tão assiduamente, porque as energias não chegam para tudo.
A nossa casa de campo está na fase dos acabamentos :) é muito trabalho, muitas limpeza para andar sp tudo sujo na mesma.
E pronto gerir 2 casas não é fácil, querer manter as mesmas rotinas de treino não é fácil e os meus programas de treino ultimamente são encher a bagageira do carro com pacotes e caixas e pequenos móveis que carrego pelas escadas. Subo e desco escadas 5 andares vezes sem conta e as pernas incrivelmente já se habituaram a este tipo de esforço, pois das 1s vezes via-me grega, hoje já vai numa boa, ou então depois das limpezas  obra, vir a correr para casa. Dá meia horinha de corrida a bom passo. Somos abençoados pela localização desta casinha, que está tão perto da cidade, e ainda assim tão recatada da azáfama citadina.
e por aqui andamos.
As minhas energias estão direcionadas para este projeto e portanto os assuntos neste blog por agora, serão mais do mesmo...
bom fim de semana

quarta-feira, 30 de abril de 2014

As doenças

bateram à porta e desta vez é o marido que anda doente. Coitado dele e coitada de mim.
Dele porque tem passado muito mal e foi à cama, coisa rara nele, e de mim que tenho andado com o super turbo para dar conta de tudo sozinha. Turbo precisa-se.
E só agradeço termos adiado a reserva do passeio que haviamos planeado, pois caso contrário, não daria na mesma.
O tio da minha mãe também está por um fio, por conta de um cancro que infelizmente se encontra em fase avançada. É um homem muito bem disposto e cheio de vida e é difícil digerir a ideia que está próxima a sua morte.
Ainda assim nós vamos levando as coisas e como não estamos tão próximos fisicamente acho que se torna menos "complicado" preparar-nos para uma despedida (se isso é possivel).
Já a minha mãe, começo a adivinhar momentos muito dificeis, nem quero pensar. Estou muito farta deste humor sempre deprimido e gostava de conseguir me desprender.
Bom feriado

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Hoje acordei

com a miúda a fungar... estava a amanhecer
fui à cozinha e peguei nas bolas homeopáticas, coloquei-lhe soro no nariz e fui guardar as coisas.
Olhei lá para fora e senti que hoje ia ser um dia lindo e quente.
Não resiste e peguei na minha máquina fotográfica para captar o amanhecer.
Hoje sinto-me bem disposta.  Ando ocupada com a casa do campo, com limpezas, com arranjos disto e daquilo.
A mente anda ocupada, as miúdas estão naquela fase: nem bem nem mal... sinto que a qualquer momento podem surgir as tosses e as constipações, pois querem andar todas descascadas, já andam dando banho de alguidar e fazendo de contas que é Verão.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Depois da Páscoa

não tenho tradições religiosas, o meu culto é a minha família, as minhas filhas e a minha casa.
Não me enfardei de doces e ovos da Páscoa, porque não é coisa que aprecie.
Matei o desejo com 2 fatias de folar e fiquei consolada... agora acredito que estas datas festivas sejam uma chatice para quem quer manter a linha.
Fiz um jantar para os meus pais na 6ª feira. A minha sogra havia-nos convidado para ir almoçar no Domingo, mas alterou a data para Sábado devido às previsões de tempo, para que a miudagem pudesse andar no jardim e piscina sem chatear muito, digo cá eu para mim mesma.
Ai se a minha mãe sonhasse que no domingo de páscoa tinha ficado em casa! ahahahahahaha
desde as suas paranoias veranis que as coisas azedaram com alguns elementos da família. A culpa já cá não mora, ficam os princípios e depois de tantas mágoas varridas, tanta chatice e veneno que me pôs no corpo, ficou tudo bem... para ela, porque são pessoas que vivem engolindo sapos e fingindo que tudo está bem- Não sou assim e portanto como não sou, fiquei na minha casinha serena e ocultando a verdade, lá foi almoçar com os dela sem ter que se preocupar em ter trabalhos com almoços e afins.
Estou numa fase em que  não tenho que fazer fretes, e se a minha ausência no Natal se deu, então agora já ninguém me faz entrar na casa de det personagens. Sou educada, se me convidarem e estiverem presentes tudo bem, mas ir para a casa deles, nem pensar, nem pensar, nem pensar. É a vida.
em relação ao resto, voltamos à normalidade. as miúdas regressaram à escola depois de semana e tal em casa e nós vamos começando a ganhar novo alento com a casa nova que já não é obra.
boa semana

quarta-feira, 16 de abril de 2014

A busca

a busca constante de isto ou aquilo está na nossa génese. Na minha pelo menos....
Quando na vida as coisas fluíam sem entraves, a busca pelo filho chegou e fui privada do meu desejo de ser mãe. Foram tempos difíceis, foi difícil fazer o luto daquela situação, andei em crise comigo própria e com os que me rodeavam... Foquei-me cegamente neste objectivo de vida e sem me aperceber, muita coisa se alterou nos anos que se seguiram: profissionalmente, pessoalmente, familiarmente...
Depois engravidei e percebi que, por algum motivo, eu tinha quer ter passado por esta experiência para valorizar a vida e me transformar na mãe que sou hoje.
Não sei se, face às circunstancias teria privado com pessoas que me despertaram a vontade de ser uma fêmea que cuida das suas crias, parindo, dando mama e ficando com elas até tarde.
Foram anos exclusivos a elas, embora não tivesse perdido o contato com o mundo de trabalho, comecei, a prioriza-las e às suas necessidades- Felizmente a conjectura tem-me permitido viver, sem eu ter apostado afincadamente na minha carreira.
Sou uma péssima negociante, não tenho jeito para negócios e dá-me pena das pessoas e por isso, não sou capaz de concretizar €, se trabalhar por minha conta unica e exclusivamente.
Tenho que pensar na lei da retribuição e que algum dia serei recompensada pela minha postura, é o que quero pensar.
Depois fui mãe pela 2ª x e houve uma avalanche de tudo, de quem tem o peso de cuidar de 2 crianças com idades tão próximas e só com a ajuda do marido.
Agora as minhas filhas estão com 5 e 3 anos e agora começo a dispor de mais tempo para mim.
Tenho projectos e tento priorizá-los, mas às x gostava de fazer o que bem me apetecesse... Desafiar-me até aos meus limites físicos, fotografar o que me apetecesse, tatuar-me e andar por aí como bem entendesse.
Sou uma pessoa irreverente e fascina-me a diferença, as culturas.
Adorava viajar com as minhas filhas pelo mundo e conhecer, aprender coisas novas. Sou ávida pelo novo, por experiências novas.
E para estes sonhos, não bastaria sonhar, mas sair-me o euromilhões ou algo que valha.
E porque divagar ainda é um bem precioso e isso eu mereço e tenho todo o direito, peço que façam o mesmo: sonhem!
Bom resto de semana

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Férias

as miúdas hoje já não foram à escola!
Houve terra, muita terra e sujidade.
A nossa casa já não parece uma obra, está quase terminada :)
estou muito feliz de coração!
a nossa rotina tem sido um rodopio de visitas à obra, em visitas aqui e ali para ir buscar os materiais que faltam...
estou muito entusiasmada e como devem compreender, não tenho tido cabeça para mais nada. A dança parou, o curso flamengo parou mas não deixo de me exercitar todos os dias.
Ando um pouco em baixo, pois estou com algumas lesões que me condicionam os treinos, mas aqui é proibido baixar os braços e sabem que treino foi hoje?
Subir e descer x sem fim até ao 5.º andar do meu prédio! Não posso fazer pesos, mas as perninhas estão boas. Foi colocar os phones e ir carregando caixas para a cave da garagem e subindo novamente.... O objetivo seria subir 10 x, mas chegou um ahora que deixei de contar! Foram 45 min e devem ter marchado muito mais que 10 séries.
Estou mesmo feliz, ver uma coisa crescer inesperadamente, assim tão desprogramado. Nunca pensei que fossemos pegar naquela barraca tão cedo e transformá-la num pequeno e prazeroso oásis. Que bom!
E mais bom seria se o orçamento fosse um pouco maior, mas a corda já está esticada ao máximo e vamos ver como vai ser com a parte exterior... mas agora não interessa.
Com criatividade, força de vontade e calma tudo ficará maravilhoso!
bom fim de semana

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Dia D

de dentista... Hoje é dia de dentista! Tenho que me desenrascar com algum batido pois a broca vai cá andar com anestesia e irei andar de boca dormente e sem acção para comer nada!
Este fim de semana foi cheio. Cheio de acordares madrugadores, brincadeiras, risadas, energia e companheirismo. Foram dias de liberdade... andaram na rua. Fomos aos mercados, aos parques, fomos à casa do campo e deliciaram-se com a terra, dando asas à imaginação pura e infantil.
Ontem estrearam a piscina dos avós. A C a medo lá fintou os receios das primeiras braçadas e andaram as duas descascadas a disfrutar de um dia disfarçado de verão.
bom dia alegria!

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Os turbantes

sempre gostei de acessórios, chapéus, lenços e turbantes. Sempre...
Mas as pessoas não estão acostumadas a olhar, pelo menos na minha zona.... No minimo dá nas vistas, porque é diferente.
Tenho muita pena que haja uma grande relação entre o cancro e o turbante, porque usar turbante não tem que estar condicionado à falta de cabelo. Fazem-se coisas tão bonitas com os lenços e amarrações e é uma excelente alternativa naquele dia em que o cabelo não está no seu melhor.
Ontem entre o campasso de espera de dança da C. fui visitar minha avó, que se está sempre a queixar-se do cabelo, e de estar fraco e de se por oleoso num piscar de olhos. Agarrei nela e fomos para o quarto ver lenços. A minha avó tem lenços espectaculares que só visto.
Ensinei-lhe a fazer alguns nós e ficava tão bem e sempre disfarça o cabelo. Num instante o (pouco) tempo passou e tive sair disparada a recolher as miúdas.
O turbante, no meu caso tem que ficar para o fim de semana, pois dá tanto nas vistas que não me sinto bem para vir trabalhar com um acessório destes no cabelo.
Bom fim de semana e aproveitem para tirar o lenço da gaveta. As bandanas estão na moda e eu adoro! ;)

terça-feira, 1 de abril de 2014

A moda do detox

parece que veio para ficar...
tenho pena de ser uma pessoa inconstante em matéria alimentar, mas como sabem há coisas que bani na minha alimentação, como o leite. é obvio que existem os seus derivados, que também pouco ou nada consumo. Deixei os iogurtes de aroma porque o açucar é demais e agora ando a tentar substituir o natural pela manhã.
Desde que comecei a evitar o açucar por causa da pele, o meu paladar está muito mais aguçado e não tolero muitos doces. Houve uma altura em que não abria a boca a um doce, hoje se me apetecer, nos almoços de domingo pode marchar. O meu problema felizmente ou não, não se trata de dieta, mas sim de calibrar as necessidades do meu corpo, pois o meu orgão mais sensivel e reativo é a pele e portanto a pele da face é a nossa imagem, e já chega... O que depender de mim e dos ajustes e experiencias cá estarei eu!
Reparei que os meus intestinos por vezes não são regulares e então há que mexer na alimentação (ainda mais). Bebo muita água, porém por vezes faltam-me as verduras. Se não as comer na sopa, com a azáfama do dia e correria, a saladinha ou os legumes não mais ignorados....
então uma das formas para não deixá-los estragar é incluir no sumo de manhã. É o que estou a tentar fazer. Basta ter alguns legumes à disposição e a bimby limpa e desocupada!
E não são são maus assim: hoje foi maçã, laranja, espinafres, hortelã (para cortar o amargo do espinafre) e1 colher sopa linhaça moida. Desde este fim de semana que ando nos sumos detox ao pequeno almoço e os intestinos estão a funcionar muito melhor!
há que mudar velhos hábitos, eu tenho conseguido aos poucos com alguns avanços e retrocessos. Não basta a quantidade de porcaria que ingerimos, agrotoxicos e afins...
sumos detox para uma boa saude, estou fã!

segunda-feira, 31 de março de 2014

Rendida

rendo-me... A primavera chegou e o tempo feio voltou...
Já andava rodopiando entre tecidos étnicos, flores, árvores.... e a chuva o que me trouxe foi uma otite feia.
Conclusão: ambas ficaram em casa desde 5ª feira. Não sei mais o que fazer... A mais velha anda com as defesas em baixo, alimenta-se mal... e pronto os bichos não largam.
Insisto, estimulo mas a alimentação na pré é estupidamente fraca, não sei quem elabora estas ementas. Resultado: chega a casa cheia de fome, passa fome e ainda apor cima é esquisita.
Voltando atrás, passou mal, uivou, gritou e pedia para lhe levar no médico.... estupefacta com tantos queixumes, decidi ir ver o que se passava, pois comecei a ficar preocupada, não fosse algo mais grave. Não consegui ninguém na hora e a solução foi estrear agora com esta, as urgências pediátricas.
A sorte que tive foi estarem vazias e ter sido logo atendida. Berrou para ir ao médico e berrou depois para ir embora. Embora a minha intenção fosse ver apenas o ouvido e qual o ponto da situação, pedi para a médica auscultar a menina pois continua com aqueles miados quando respira.
UMa m**** foi o que foi. Já sabia, e enraivecida pensando nos € que tinha jogado ali fora, mais valia ter feito alguma caridade com esse dinheiro.... Mandou-me embora, mal auscultou a miúda e prescreveu um antibiótico. A gritaria era tanta que chamou a enfermeira que apareceu com uma seringa cheia de brufen.... Vi o pesadelo ali. Brufen???? ~claro que não quis e eu não obriguei, ela estava era cansada. O pouco que  pus na boca da miúda ela chegou a casa e vomitou.
A homeopatia ajudou mas não foi suficiente :( pelo menos nesta situação que é crónica e eu também me passo com a atitude de uma das homeopatas que costuma observar as miúdas... Não gosto da postura dela, muito comercial, muito segredo, e sem explicações: toma e pronto! nâo gosto, E como tive o azar de ter sido esta que estava de serviço, fiquei lixada da vida e decidi não ir.
Mas sozinha não tenho estofo. Tenho procurar outra alternativa...
Adiante... preocupada ainda, marquei consulta com a médica convencional que a costuma acompanhar... melhor que muitas pediatras, explica tudo certinho. Então face à situação, auscultou-a e detetou um problema não sei das quantas relacionado com os brônquios... ela esteve atacadíssima dos brônquios como sabem e a chiadeira ficou daí ou detrás, sei lá... disse-me prontamente que a miúda tinha rinite. Deu-me atrovent para nebulização, um xarope para 3 dias e uns comprimidos anti-alérgicos. Andei a matutar e a matutar e vejo-me rendida. Não quero pensar que a miúda fica com alguma complicação e não quero ser fundamentalista e tendenciosa. Há situações crónicas que temos analisar.
Comprei o atrovent e nada mais.... dps comecei a remoer e fui buscar-lhe hoje o antibiótico. Que se lixe... mal por mal. Os comprimidos anti-alérgicos é que não vieram no saco.
Então esta semana temos timpanograma e alergologista. Depois otorrino.
Este timpanograma era o tal que o médico tinha pedido em fevereiro para ir fazer nesta altura.
A minha filha tem o ouvido cheio de liquido outra vez... estou cansada disto.
Na escola continua muito distraída e faz as coisas ao ritmo dela, algumas vezes mal por não prestar atenção ou por não perceber. Com o temperamento dela, não poderia ter estes problemas no ouvido.
Vai ser a minha desgraça, tenho que resolver isto.
Mas tenho que ir passo a passo. Vamos outra vez assim caminhar de mãos dadas. Ainda temos que despistar as alergias e depois se verá.
Preocupa-me muito o que aí vem: a minha C é infantil e se não encarrila, vou ter que trabalhar muito com ela quando entrar para o ensino primário.
fui

quarta-feira, 26 de março de 2014

ainda estou por cá

no outro dia escrevi um post todo pomposo com direito a foto e tudo... mas o raio do pc bloqueou e não restou nada, nem em rascunho, então mais uns dias de ausência....
este mês tem sido dedicado a mim! A cuidar de mim :). Os meus dentes estão quase finos. Incrível como no espaço de ano e meio foi a desgraça total. Desmamei as miúdas e voilá, pequenas cáries em vários dentes.
Aproveitei alguns saldos para renovar algumas peças do meu roupeiro :), já merecia...
Só agora com a minha filha mais nova com 3 anos, parece que já me vejo com outros olhos ao espelho :)
Fruto de foco, treino e mais treino, não para emagrecer, mas para aumentar 1 ou 2 kg e ganhar massa muscular. A barriga está muito melhor! :) Mas não como eu gostaria, ainda tenho alguma flacidez no abdomen inferior, que julgo tratar-se de mais excesso de pele que outra coisa, mas ainda assim quero ver se consigo diminui-la ainda mais. Se for possível sem recurso a estética ou cirurgia eu vou conseguir! oh se consigo!
Pensei também que teria que fazer uma limpeza a esta pele tão fustigada e cheia de pequenas lesões. Entristece-me olhar para esta cara sem maquilhagem e ver como a minha pele está tão danificada pelo acne.
Deve ser os malditos quistos nos ovários porque de resto, já vi quase tudo.
Não me apetece fazer hemoterapia, porque são mais as marcas que o acne, estou muito melhor.
Aproveitei uma promoção muito boa e ontem estive de papo para o ar hora e meia. Para além de peeling e oxigenoterapia, ainda passei o laser nas lesões e sai de lá com uma pele de princesa não fosse as cicatrizes todas e a pigmentação das áreas mais fustigadas....
Acontece que não há bela sem senão e para ver resultados claro que tinha que tinha que continuar a fazer. Mas o € não estica e não dá para tudo e eu ainda não terminei com os dentes :(
vamos ver o que se arranjará.
De resto as minhas meninas andam mais ou menos bem: a pequena constipou-se, espero que não piore. A mais velha como sempre distraída e aluada, sempre com as mesmas queixas da educadora. Já na dança é muito focada e concentrada. Andam mais amigas e madrugadoras e aos fins de semana temos ido cavar, fazer trabalho duro para a casinha de campo e elas lá, entretéem-se! Não chateiam, brincam, trazem é muitos kilos de pó e terra, até mm dentro das cuecas, só para imaginarem!
Chegou o tempo dos pic-nics e dos passeios e espero que este tempo ajude!
Até breve

quarta-feira, 19 de março de 2014

E hoje

a mais velha acordou toda empolgada mais cedo que o costume, para finalmente desvendar as surpresas que havíamos preparado para o pai! Pouco depois entrou a outra, também descabelada mas já de sorriso maroto na cara.
Ontem antes de as deitar, pintei-lhes os lábios e marcaram o postal que tinha feito com uma montagem de várias fotos para o papa e andámos a esconder 3 prendas, uma de cada uma de nós no meu quarto. Imaginam o reboliço? Claro que queria desvendar o segredo ao pai, deve ter sido dificil conter aquela vontade!
Hoje foi dia do quente- frio, foi dia de amassos matinais e muitos beijinhos para o nosso pai lindo!
Realmente, não me sai o euromilhões, mas acertei no pai! Não podia ter escolhido melhor!
Feliz dia para todos os papás

terça-feira, 18 de março de 2014

Ando a ver

se conseguimos planear uma escapadela para principio de Maio.
Vamos até Coimbra visitar Portugal dos Pequeninos. Agora falta encontrar uma paragem a meio de caminho para pernoitar, que não estou a ver como vamos fazer tantos km com as miúdas que não estão habituadas a este tipo de viagens...
e de resto tudo bem! Sol primaveril... tão bom...
a disposição é logo outra!
bjos e abraços

sexta-feira, 14 de março de 2014

Por onde ando...

observando a minha cidade com muito respeito e carinho...
para ajudar na divulgação, criei uma página para divulgar a Casa Mourisca, uma sugestão para férias no Algarve mais calmo, recatado e muito melhor ( só minha modesta opinião).

Podem espreitar:
http://carlagsantos.wix.com/casa-mourisca

terça-feira, 11 de março de 2014

Muitas coisas acontecendo

e pouca vontade de escrever.
As minhas filhas parecem recuperadas das doenças graças a deus.
Começa a sentir-se o aroma da Primavera e temos aproveitado para sair e apanhar ar puro.
Tenho fotografado mais e isso me deixa bem comigo própria porque é uma maneira de me por em contato com aquilo que me rodeia e olhar as coisas noutra perspectiva.
A nossa casa de campo começa a parecer uma casa! Andamos a cortar as árvores em redor com pena minha, mas são arvores muito velhas e que estariam a estorvar espaço e vista.
Sou grata por aquele pedaço de terra que tem uma vista linda e panorâmica para o mar, numa grande extensão. Pequenas maravilhas que estavam escondidas pelas árvores e pelo mato.
Tenho ido com as miúdas ajudar a armazenar lenha que muito útil será quando puser aquele forno de lenha a bombar! Não gosto de folares, mas acho que, se a casa estiver terminada na Páscoa, ainda vão marchar uns folares daquela maravilha :)
Este Sábado irá uma máquina limpar todo o terreno e lá estaremos para testemunhar mais um passo na evolução do nosso espaço.
Temos muito trabalho pela frente, mas quando se faz com prazer não custa nada! Assim que tudo estiver limpo e livre, será mais fácil manter as crianças por lá, pois poderão brincar à vontade!
Quanto ao resto, levo a minha vida com a meta principal de ser mãe, de sermos uma família presente .Vou trabalhando á medida do que aparece e fazendo o meu trabalho diário na clinica.
Enfim... tudo a fluir
beijos e abraços

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Como estamos por aqui e a homeopatia

tenho andado tão desconfiada com o tempo e com a saude das meninas que não me tem sequer apetecido escrever sobre isso ou outra coisa qualquer.
Por enquanto os tratamentos homeopáticos estão a resultar. Não tenho nada a apontar da homeopatia, até porque felizmente as minhas filhas nunca andaram tão doentes como este ano, e mesmo assim, a homeopatia tem dado conta do recado.
A experiência que tenho com o antibiótico é que dei à minha filha mais nova pela 1ª vez por conta de uma otite que perfurou o timpano... fez tratamento e passado nem 1 mês teve outra otite e mais uma série de doenças em ite....
o antibiótico é de evitar, é a minha opinião. A miuda nossa vizinha, sendo o exemplo mais recente ainda a semana passada deram-lhe antibiótico por conta duma otite. Regressou à escola e veio para casa doente.
A mãe foi 3 x às urgências pediátricas, gastou uma pipa de massa e ei-la cheia de tosse, igual ou pior à que as minhas filhas têm.
Quando as miudas tossem de noite, ou têm nariz obstruido, eu sei qual remédio homeopático a dar.... e elas melhoram.... Sei que o vapor da cebola alivia a tosse de noite, assim como o vapor do eucalipto abre o canal olfativo.... Tb sei que o vapor da batata é excelente para os bronquios e que pudemos mergulhar os pés deles em agua fervente com algumas mezinhas antes de se deitarem....
Também sei que a terapia magnética pode ajudar...
é uma questão de ser prudente e cuidadoso. Eu faço homeopatia às minhas filhas com um rigoroso acompanhamento. Têm sido observadas: garganta, adenóides, ouvidos e auscultadas... e vem para casa com novas águas e bolas à medida que os sintomas evoluem favoravelmente.
A homeopatia é eficaz, vai ao cerne da questão. Agora nem todos nós estamos disponíveis física e mentalmente para andarmos a dar águas de meia em meia hora e bolas e mais bolas... sobretudo quando as doenças atingem todos ao mesmo tempo e não temos as nossas energias calibradas... é mto difícil e saturante...
o que é certo é que elas vão melhorando.
Pela 1ª vez na minha existência levei a pequena às urgências pediátricas quando andou muito em baixo, antes de recorrer à homeopatia... Pois vim de lá com as indicações que eu já as fazia por iniciativa própria: ben-uron em casa de febre e esperar.... dar bebegel por conta dos gases... enfim
Mas o que a miúda tinha era mm uma gastrite...
quanto a mim, não irei às cegas enfiar um batalhão de medicamentos e antibióticos às miúdas.
Só espero é que não voltem adoecer simultaneamente e que eu esteja bem de saúde para continuar neste ram ram de bolinhas e boletas.
Para mim as desvantagens da homeopatia prendem-se à morosidade do tratamento (em alguns casos) e aos preços que temos que desembolsar.
Esta é a minha experiência: tudo com conta, peso e medida.
Saúde para todos!
fui

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Adaptaçoes

à realidade....
as minhas filhas começam a retomar a sua vida escolar.
Tenho muito receio que recaiam... muito mesmo.
também eu continuo a querer que tudo volte aos eixos. Retomei os meus treinos e senti muita dificuldade...
ás tantas penso que realmente é dificil para quem faz, gosta e precisa como eu...
então o que direi das pessoas que não gostam, são obsesas e precisam, mais do que para sanidade mental (que é o meu caso), mas por questões de saúde. Acredito, estou certa que é dificl, porém é sempre preciso estabelecer metas e objetivos... o 1.º passo é sempre muito importante, e o que interessa é mm começar.
Portanto força!
Quanto a mim, começo a refletir no meu absentismo ao trabalho, começo a pensar nas necessidades das crianças, e das exigências das escolas....
Como é possivel pais poderem acompanhar os seus filhos, se trabalho de manhã à noite?
Por exemplo na 6ª feira a minha mais velha tem desfile nas ruas da cidade na parte manhã. E eu quero lá pensar que não vou puder assistir? E o trabalho?
Depois na escola da pequena pediram para ir buscar os miudos às 13 horas. Para os disfarçarmos e levarmos ao baile de Carnaval que irão fazer noutra instituição e ainda contribuir para um lanche...Ok. E o trabalho?
E a outra filha? Terei que tirar o dia de 6ª feira está certo. Sem falar que na 5ª feira de manhã tenho dentista.
O melhor seria nem pensar em trabalhar. Porém como posso fazer uma coisa dessas? Já sou trabalho a part-time... o marido já sofreu outro corte no vencimento... onde vamos parar?
E depois leio que o governo vai constituir uma equipa para repensar a natalidade do país..
Isto é piadinha de mau gosto?????
Posso viver com menos ou com pouco, mas não posso abrir mão do que ainda tenho! Não sei onde isto vai parar... Que futuro terão as minhas filhas?
É melhor parar por aqui com as divagações, porque embora seja uma pessoa tendencialmente positiva, não consigo projetar o futuro.
fui

sábado, 22 de fevereiro de 2014

UM pouco de já tudo...

já me preocupei
já stressei
já vi o diabo...
já cuidei
já desesperei
já saturei
já me resignei

estou completamente de rastos. Não tenho actualizado o blog porque a minha casa foi atingida por uma tsunami de doenças que não têm fim.
Primeiro as doenças da pequena que recuperou.... depois o pai que apanhou uma valente gripe o fim de semana passado foi à cama.... comecei a pedir aos santinhos que a coisa ficasse por ali mas não :(
Na passada 2ª feira acordei com a cabeça a estalar e simplesmente ñ conseguia levantar-me, sentia-me mal quando o fazia... fartei-me de dormitar nesse dia... Doente vi chegar a C a casa com uma valente constipação. Não foi preciso muito tempo, foi só a madrugada para chegar a febre. Depois o cenário foi ficando cada vez pior, entre cuidar da miuda que em média me chamava de meio em meio minuto e eu a arder com febre... Rebentou comigo. Foi a febre, foi a tosse e o ranho sem fim... ao final do dia saltava com dores nos ouvidos... Desesperada fui tratando tudo com homeopatia. Na 4ª feira levei-a à homeopata e resultado: uma bronquite aguda... Muitas mezinhas, anti viral e muitas águas e bolas.... Nessa mesma noite a pequena começou tb a arder em febre... Queixas de dor de cabeça, dor de barriga e muita tosse e ranho.
Foram noites e dias de pesadelo entre uma e outra. A atender as 2, praticamente sozinha, pois o pai tinha que trabalhar e acompanhar a obra da casa que entramos numa fase decisiva : eletricidade e saneamento.
Na 6ª feira levo-AS à homeopata: C melhora significativamente já sem broncoespasmos e com menos kilos e kilos de ranho... Se ganhasse € com a expetoração e ranho desta miuda teria ficado rica.
Quanto à mais nova, pelo mesmo caminho: infecção vias respiratórias e sei lá mais o quê. Mais cuidados, mais águas, mais tratamentos.
Por vezes acho que roço o limiar da loucura, porque coloco a voz de tal forma que até a mim me impressiona, não é gritar, é um falar de garganta que é capaz de se ouvir a quarteirões de distância...
Com isto, a minha alimentação foi-se... Chegaram tb cólicas ou dores de barriga nem sei, 2 noites com cólicas ao ponto de hoje ter acordado com uma dor tão, mas tão grande no peito que me assustei pensando que poderia estar a dar-me qualquer coisa... nem levantar conseguia, só com a ajuda do marido.
Depois peguei no tablet e pus lá os sintomas... percebi que tinha o esterno inflamado e que poderei ser devido a problemas gastrointestinais.... e tem lógica, fiquei mais aliviada, pus uma botija de agua quente e pouco depois tive que me fazer à vida.... A pequena sem parar de se queixar da barriga, a maior melhor, mas já a bater com a cabeça nas paredes por estar enfiada em casa.... uma loucura, a meter-se com a irmã...
Vi-me enlouquecer (cada vez acontece com maior rapidez, pois as minhas necessidades começam a colidir drasticamente com as delas) e sai para o terraço, deixei-as sozinhas e disse que tinha que me acalmar... estendi roupa e fui arejar a cozinha que entre gerir uma birra da maior, esqueci-me das amendoas que tinha no forno a torrar e quando cheguei era uma fumarada que só vendo....
dps de descascar os legumes para a sopa, percebi que tinha que sair de casa, que isto estava descambar. Liguei à médica que disse que podia sair, que as protegesse na cabeça e assim foi. Saí um pc, fui ao parque. A pequena quase nem quis sair do carro de passeio e eu já tou numa fase tão decadente que me sentei no meio do chão com um saco de tangerinas que havia comprada, descascando e dando de comer à outra...
enfim... mais um dia...
já não tenho mais para dar.... estou no meu limite.
sai dps do almoço porque queria ver os pontos de luz da casa... não consegui....
fomos ao campo, a pequena estava tão impertinente que só visto....
regressei às pressas, com uma certeza:
2ª feira, têm que regressar à normalidade. Já não aguento mais nem um dia.
Se não melhorarem até 2ª feira, vou deixar de lado as minhas convicções e vai de antibiótico.
Atiro a toalha ao chão... preciso de me recompor, parece um esqueleto... Tanto treino para numa semana evaporar-se tudo.
Já deixei a dança, com isto tudo vontade é nula de ir a módulos de seja do que for...
preciso paz, preciso silencio,
bom resto fim de semana

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Qual o motivo

do universo ter-me posto nos braços 2 meninas tão diferentes uma da outra?
Porquê que a minha mais velha é uma menina tão complexa?
espero ter sempre energia para a guiar as minhas filhas... sobretudo a maior.
sinto-me hoje apreensiva...
hoje tive mais uma conversa com a homeopata, por conta da mais nova, que está a ser acompanhada para tratar os ouvidos.
Segunda levo a maior... Acho que estou a fazer o tratamento mais adequado, mas a homeopata sugeriu-me que deveriamos encaixar sua personalidade homeopática para puder personalizar mais o tratamento.

mudando de assunto, hoje é dia dos namorados e o meu marido está adoentado... comprámos o ano passado um porco da india que se chama João e como não sabíamos a data de nascimento decidimos que seria o dia dos Namorados. Terei motivo de celebração.
Pouco romântica ando, me confesso. Estes dias de doença não têm sido fáceis, e este tempo horroroso esmorece qualquer tipo de ideia mínima que possa eventualmente ter pairado no espírito... tenho contrariar esta ideia pré-concebida que sair com as miudas dá-me um trabalhão dos diabos, que não aproveito nada, que não janto de jeito... ( é a mais pura das verdades) mas deppois vence sempre o comodismo.

Pode ser que para o ano esteja aqui sentada a escrever que vou fazer um programa com o marido e que as miudas ficarão em casa com alguém... será? não sei.

bom fim de semana

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Se eu adivinhasse

que ia perder horrores de tempo e paciencia em fazer um album fotográfico online nunca na vida tinha comprado esta merda de cupão. Apetece-me gritar ou partir alguma coisa...
mais uma noite a deitar-me às tantas e ainda não consegui submeter o raio das fotos.
Agora diz-me que o código do cupão expirou. O quê??????????
o cupão é válido até Março, acho que estou ainda com tempo de avanço.
Depois é a net a cair, que nervos e ter que escrever a mm msg umas 3 x.
estou roxa, raivosa, piurça. Destesto ficar com coisas na cabeça inacabadas. Detesto....
e serve para aprender, o barato sai caro...
Já com a porcaria da depilação a mesma coisa.... Comprei um pack de depilação a laser. Fiz 2 sessões. Entretanto a máquina avaria-se a fecha-se uma loja durante um mês inteiro à espera que arranjem o aparelho.
Entretanto estou apenas a fazer nas axilas e estava bem satisfeita, imaginem se fosse na cara... a retomar em Março.... o melhor que faço é ir dormir e esperar que me respondam rapido à minha reclamação
fui

Adicta por...

golas! Isso mesmo! Golas.
Andei a pensar aprender tricot. Pedi à minha mãe para me ensinar e embora não me pareca nada dificil, a minha lateralidade pura à esquerda faz com que tenha algumas dificuldades em posicionar as agulhas como ela faz e ela dá-lhe alguma confusão ver-me fazer ao contrário.
Então depois desta breve febre, constatei que o melhor mesmo é resignar-me às mãos da mãe e pronto. Ela vai relembrando como fazia a malha e eu vou comprando compulsivamente umas quantas lãs para ela se entreter.
encaixam no meu estilo e aquecem-me o corpo, já que o meu local de trabalho é friooooo, servindo a máxima: um bom casaco e um bom lenço ou cachecol nunca me deixam ficar mal, pouco interessa se tenho camisa, blusa ou camisa interior ;)
E como há a parte dos acabamentos que a minha rica mãe não se lembra lá muito bem, acabei por descobrir uma artesã, onde compra as malhas que faz golas e outros trabalhos muito bonitos e a preços muito acessíveis.
Iniciou época oficial de febre às bolas :)
As golas da buhh, podem vê-las no facebook, são lindissimas e originais, porém um pouco puxadas à carteira.
bjos e abraços

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

em arrumações forçadas

tenho vindo a tornar-me cada dia mais organizada, ou talvez mais ponderada e focada em planear as coisas.
Quando se tem filhos, não há hipótese....acabas por ter que aprender com a experiencia e com os erros.
Mas sabem o quanto eu estou danada, furiosa?
Calculam as fotos que tenho? Resmas, centenas... nem sei. E andam espalhadas por tudo quanto é lado: pens, disco externo, cds, portátil, pc fixo...
Ora aqui esta uma coisa que eu tenho perder tempo, tenho que comprar um disco externo desses mais recentes para enfiar e organizar as fotos todas... que chatice, que maçada....
antigamente usava mais o portátil e comecei aos poucos a fazer uma limpeza e selecção de fotos. Acontece que o traste já não vai para novo e deu um erro não sei das qtas e acabei por perder parte da evolução das minhas filhas.... Com medo, nunca apago nada e vou tentando duplicar aqui e acolá, mas isto está a tornar-se viral.
Ontem à noite tive de serão porque tinha comprado um cupão com um desconto bastante atraente naqueles álbuns fotos capa dura. Comprei no Natal e ainda não usei. Pois pensei que era hora de ir ver como aquilo funcionava e pronto, há que escolher as fotos.... depois de n tempo, descobri que tinha fotos divididas entre os 2 computadores e hoje com a febre de riscar esta tarefa agarrei-me ao portátil... perdi mais tempo e o resultado sabem qual foi?????? não processou as fotos e todo o tempo perdido foi água a baixo. grrrrrrrrrrr que raiva... agora ando eu aqui a tentar de uma vez por todas passar todas as pastas para o disco externo. Só peço ao Universo que... (nem vou escrever par anão azarar"... fui

Isto já não é o que era

ora a minha filha de 5 anos vem-me para casa a cantarolar musicas que bradar aos céus:

foi a febre da piradinha, agora é o Show das poderosas e gatinha assanhada com direito a coreografia e tudo....

No meu temp cantávamos a Heidi, faziamos passagens de modelos improvisadas e quanto muito os onda choque ou a ana malhoa!

ahahahahahahah

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

De volta ao mundo

dos vivos!
deixa lá respirar fundo umas quantas vezes que ando a nutrir-me mal de arrrrrrrrrrrrr.
Espero que por agora os bichos fiquem arrumados e longe de mim....
amen