domingo, 30 de dezembro de 2007

Punção

Chegou o dia!
Embora aparentemente calma, senti que não dormi bem e nem foi preciso o meu lindo me arrancar da cama. Tomei o meu banhinho, despachei-me e em jejum partimos para Lisboa.
Estava um sol lindo, e eu fui olhando a paisagem.. o mar. Perto de Lisboa, o cenário muda completamente... Estava um frio de rachar e tanto nevoeiro que não se conseguia ver um palmo à frente.
Chegámos e fomos encaminhados ao quarto. Em breves instantes apareceu a enfermeira, depois o médico e a anestesista. Sempre muito humanos e profissionais. Fui seguindo as instrucções e pouco depois estava a caminho do bloco operatório. Lá, instalei-me no animador aposento e levei uma daquelas apetitosas picadelas na mão. O Dr. brincava e a anestesista pedia para eu respirar fundo. Passagos breves segundos, pôs-me a máscara e pronto! A partir daqui apaguei. Quando chamaram por mim, parece que tinha despertado de uma soneca, sempre bem disposta.
A enfermeira levou-me para o recobro e lá estava o marido a olhar para mim... Quando me recostei na cama sentia uma dores sobretudo no lado direito,mas depois penso que me puseram analségico no soro e foi passando.
O médico apareceu pouco depois a dizer que tinha aspirado 12 óvulos. Que poderiam não estar todos maduros, mas que provavelmente a maioria deles estava. Apalpou-me a barriga e disse que voltava em meia hora. Assim fiquei, deram-me um cházinho com um queque e passado mais algum tempo a enfermeira já pediu para me levantar, sentar na cama e andar um pouco, para ver se tinha reagido bem à anestesia ou se, seria necessário dar-me mais medicação.
Regressa o médico, dando as orientações todas, sempre muito esclarecedor e explicito, dizendo o que poderia correr bem, mas que também havia probalilidade de haver algo, que só nesta fase se poderia observar. Nessa altura, tive um misto de sentimentos: alegria, apreensão, medo, vazio.
Vesti-me e fomos embora. Fui comer uma sopinha e regressei ao Estoril. No caminho estava tão dormente que me deixei dormir 2 ou 3 vezes. Chegada ao hotel, fomos andar um pouco, e depois regressei sozinha agora para dormir uma folga, que soube muito bem!
Neste momento, estou bem, não me doi nada a não ser, muito esporadicamente algumas moinhas nos ovários. Resta-me aguardar pelo telefonema do laboratório, para ver como está a correr tudo. Disseram que ligavam amanhã na parte da tarde.
Agora é contrariar este vazio que tenho, porque o sinto...Quando os ovinhos estão dentro de nós, é mais fácil dirigir as nossas visualizações e pensamentos. Assim... há aquela incerteza, duvida, pelo desconhecido. Mas uma coisa é certa: eu mereco e sou capaz!!!
Amanhã regresso ao Algarve.
Beijinhos a todas e que tenham uma excelente passagem de ano.

2 comentários:

Micas disse...

Querida Carla,

A punção está feita, espero que tenhas feito o merecido repouso e hoje tenhas uma óptima noticia sobre o namoro dos teus óvulos.

Torço muito por ti!
Pelo que li hoje ainda vais ver o mar algarvio, à meia noite pede todos os teus desejos...aquele mar é único. :-)

Feliz Ano Novo, que comeces da melhor maneira.
Beijinhos,
Inês

Catarina V. disse...

Olá querida

Então?Ai ai ai
tens que actualizar o teu blog.Olha que eu conto a todas as meninas, as novidades fresquinhas :-)

Amiga,estou a torcer por ti e muito feliz...

Um grande beijo e um excelente 2008
Catarina