quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Nó na garganta

há muito que ando com um nó na garganta
há muito que carrego às costas demasiados fardos
sinto-me cansada, parece que me passou um camião por cima e quando me sinto assim, fico mais "revoltada" com algumas coisas, uma delas são os meus pais
Como é possivel viverem a 10 passos de mim e ficarem tempos sem verem as netas? sem ligar? sem perguntar como vão as coisas?
Como é possivel uma mãe viver doentiamente submersa no pessimismo, ir gastando os dias a lamuriar-se, a dizer que ninguém lhe liga, quando é ela uma pessoa distante e fria?
Estou sp tentando conter-me, porque sei que aquela cabeça não dá para mais, mas não é por isso que fico triste e indignada, qdo ouço aqui e ali, que os avós ajudam assim e assado, e ouvir da boca da minha, de forma completamente despreocupada e inocente que não está preparada para ser avó! Sim, é verdade! Que já criou os filhos dela, agora os pais que se arrajem com os seus...
E depois admira-se que a carmen não lhe ligue nenhuma... Pudera, se não interage com a miuda. Qdo a miuda foge pra trás das minhas pernas, diz logo que ela não gosta da avó!
Eu limito-me a conter-me, porque se lhe dissesse aquilo que me vai nas entranhas, com a estrutura mental que tem, a coitada descompensava de vez!
Já os meus sogros, vivem o drama de terem um netinho com uma doença rara, que tem passado demasiadas provações, pelo que os restantes netos, pura e simplesmente parecem não existir.
Entendo, porém enerva-me o facto de estar sempre a fazer favores a toda a gente, a tentar ajudar tudo e todos e não se disponibilizarem um pouco (tipo uma unhinha) para os netos. Até porque a minha sogra é uma pessoa cheia de luz, muito boa pessoa, com muito jeito para os miudos, a carmen gosta muito dela, MAS... não ser capaz de vir cá a casa, de perguntar de preciso de alguma coisa... se calhar sou eu que vejo mal as coisas, e como não peço nada a ninguém, partem do pressuposto que não há necessidade de se disponibilizarem...
como costumo dizer... estou entregue a mim própria...isso não me faz confusão nenhuma, porque eu aguento, venha mais... simplesmente constatar que estamos entregues à bicharada provoca-me estes sentimentos.
Hoje na festinha de Natal era eu sozinha com as duas, a carmen a berrar de cansaço, a fazer fita, a querer colo... Eu a levá-la ao colo e a empurrar o carrinho da Eva, com o braço a rebentar, a sair da festa sem nada no estômago e chegar a casa e ter que por as 2 a mamar ao mesmo tempo, para não me passar e do outro lado... mães a conversar, com as avós a mimarem os netos, a vestirem-nos, e, e, e... enfim
agora vou deitar-me e esta nuvem negra que me deixa mal disposta e mau humorada irá embora.
Amanhã é outro dia, e, o que interessa é que eu sou feliz, nós somos felizes embora não saibamos o que é dormir como deve ser, ir ao cinema, sair, comer desacansadamente... e tenho muito amor para dar às minhas filhas e só peço saude para mim e para o meu marido para as pudermos criar e educar, e o resto... é conversa!
bj
carla

5 comentários:

Dina disse...

Oh minha amiga, a minha sogra é igual á tua mãe. completamente descompensada. ELa mete-se com o ALexandre e vai lá muitas vezes "dar umas pancadas na roupa" que é como passa a ferro - se passa em 10 minutos uma serie de roupa ja podes ver. mas eu nao ligo já. ás vezes tenho de passar de novo. lol. e quanto a queixar-se - olha anda sempre com doenças e a dizer-se de coitada lalala. Apesar do Alexandre a ver imensas vezes o facto é que ele fala mais dos avós do monte e qdo la vai nunca o vejo fazer beicinho com eles. Estranha qdo chega ás vezes mas pasados dois minutos ta todo alegre. Com esta avó com cara deprimida raramente brinca. Tambem não conto com ninguem pois ela uns dias esta bem outros não. E pra quem toma regularmente antidepressivos e anda sempre a mudar de medicos ja vês que não dá pra contar com ela. Aliás se tiver de deixar o miudo com ela fico sempre preocupada. Por isso revejo-me na tua pele. So que tens um marido que te ajuda, e eu a maioria das vezes sou apenas EU para tudo. Compreendo a tua tristeza, mas olha pras tuas filhas lindas e pro companheirão. Daqui a nada estarão crescidas e vais ver que vão formar uma bela equipa em tudo, nas brincadeiras e na divisão das tarefas. Beijos grandes grandes e força que eu sei que és uma mulher de fibra, embora sensivel, de coração mole, e de lágrimita fácil como eu.

C.F. disse...

Eu entendo-te tão bem... por aqui as coisas não são melhores mas agora não me apetece, não quero falar delas.
Bola para a frente e força Mulher!!!
Beijinhos.

Rafeira disse...

Como te compreendo palavra a palavra! A minha filha tem 3 avós, OK estão a 400km de distância mas estão todos reformados e bem! A minha mãe tem uma depressão crónica, não dá para contar com ela, mas a minha sogra e o meu pai óptimos para as curvas! Alguém pergunta se necessitamos de ajuda? Não! Mas agora vem o Natal e toca a atafulhar a miúda de prendas numa competição desenfreada.Não tive a tua calma e sabedoria e um dia explodi. Resultado: Tudo na mesma não alterou mesmo que ela seja a única neta dos dois lados! Como diz o meu marido somos 3 em um!
Beijinhos Pitufos (Mª João)

Luna disse...

O que se passa com a tua mãe, passei com a minha sogra, mas como meu 1 filho, ela simplesmente estava-se a borrifar para ele. ele chorava baba e ranho dormia pouco era é uma criança mto exigente, ela propia disse não tinha paciência para isso. Para ela ideal era ter um paz de alma que fosse comer e dormir.
Chegou a dar-me muitas vezes á tarde com fralda toda suja, coisa minha mãe nunca o fez.
Tive uma gravidez de risco, a minha sogra nunca se chegou a frente para ajudar-me em casa, ainda ficou aborrecida comigo quando soube que era meu marido dava banho ao filho. Que dizer!
M. teve uma altura que não gostava de ficar em casa dela, mas felizmente com chegada da irmã as coisas mudaram da parte dela, está mto mais acessível com o neto.
olha vive a 300 metros de mim acredita. a minha mãe vive mais longe tem ajudado bem mais.
Tenho tido muita ajuda do meus pais, tem sido mais do que avôs.
Importante DEus dé mta saúde, criar as tuas filhas, elas crescem num instante, a parte do mais trabalho já passou.

Susana Pina disse...

Existem pessoas mais "frias" doq ue outras em relação a sentimentos.
A minha mãe também é assim. Só para veres, a minha cadela adora a minha sogra porque esta chama-a e faz-lhe festinhas acabando sempre por obedecer-lhe às ordens quando não estamos e só vê a minha sogra umas 3 vezes no ano. a minha mãe que está com ela todos os dias, nunca é capaz de a chamar ou de lhe fazer um miminho, claro que a minha cadela já nem se chega ao pé dela. Os animais são como as pessoas, sentem.
Claro que a Carmem sente o afastamento da avó, ela passa-lhe como sendo uma estranha. É pena, porque se moram tão perto, podia ajudar-te até com elas, mas cada pessoa tem o seu feitio...
Força amiga, tu consegues dara volta por cima.
Bjs
susana