sábado, 18 de agosto de 2012

E o 3.º?

perguntam-me...Não sei qual vai ser a minha opinião daqui a uns tempos, porém hoje, agora... já... é não!
Sempre pensei ter uma familia grande e gostava de ter 3 filhos. Não me desculpo com a crise embora pese na carteira, pois vivemos num pais tristemente envelhecido e sem perspectivas positivas qto à estimulação da natalidade, penso antes, na luta diária do dia-a-dia, praticamente desde que a Carmen nasceu que vivo só para elas. Têem uma diferença pequena de idade e não tenho descanso nenhum. Estou tão cansada, preciso descansar.
Quando tenho dias como os de hoje então... fugam fugam!
O cenário real de 2 muidas que saem de casa a pé e começam as guerras mm à entrada do elevador pela disputa de uns guarda chuvas que tenho ali. Gritaria das 2, choros, amuos e birras. Não consigo avançar e metro dps já na rua tenho de acabar com aquilo, e meter a Eva no carrinho, a OUtra segue inchada de guarda chuva na mão! Oh god. Depois é a pequena que está habituada a ir tb a pé e gosta de ir imitando o que a irmã faz. Andar nos passeios e dar saltos e correr e parar para falar com as velhotas. Mas sigo sozinha, conduzir carrinho com uma  mão, estar atenta com os saltos e gastar saliva com a maior para não se afastar muito e seguir no passeio...
Com falta de sorte (lol) pouco dps tenho que levar a Eva ao colo e empurrar a Carmen que se joga para o carro. chegamos à baixa e vão as 2 a correr e não ligam... apenas correm felizes, eu deixo... sou anti-social nesta fase me desculpem... vejo caras conhecidas, aceno aqui e acolá mas não me posso permitir a falar, sp com olho nelas. É sabado de manhã, as ruas estão cheias. Paro no pão, todas já as conhecem... Disputam por colo, gritaria... são crianças... coloco a eva no colo e dou-lhe para as mãos um pedaço de pão que a faz entreter-se. Chego por fim ao mercado e está o enxame de pessoas. Para comprar o peixe, levo a maior ao colo, com a outra no carro e tento sair dali já que ao minimo descuido a Carmen fica para trás. J+a carregada, pareco aquelas ciganas (sem desprimor) com o carro cheio de sacos... Preciso comprar terra para os vasos e subimos novamente a avenida. Na loja andam as 2 a ver as coisas, a eva adora mexer em tudo, mas à coisas frágeis, faço tudo às pressas e tenho gerir confrontos e desconfianças das 2. Para pagar tudo ok, dps enfiar o resto no carro é que são elas. Preciso que a pequena se sente senão o carro tomba! Mas ela não quer e faz birra descomunal porque entende que tem de saltar o passeio tal como a irmã. Arrastá-la dali é um suplicio e mais à frente tento pô-la no carro, parece um gato assanhado. O carro como era previsivel tomba e ouço estoirar, sinto-me a ferver a pensar que o pote de barro que comprei se tinha partido. Tenho um acesso de loucura e pego na pequena e enfio-lhe no carro, no carro cala-se e seguimos. A Carmen está cansada e fica para trás. Paro e espero, Não posso levar-lhe ao colo porque vou carregada que nem uma mula. Chego a casa finalmente! Há almoço para fazer enquanto elas delirantes entram pela casa dentro e enfiam-se calçadas e a andar por cima dos puffs, sofás e desarrumam tudo num instante, surge o meu marido do terraço onde acaba de colocar o chão do duche! As miudas querem andar atrás dele... ahhhhhhh. a pequena tem sono, não me deixa comer... mas eu preciso almoçar, senão entro em escalada de mau humor e começa a faltar-me a paciencia. O pai chega com o peixe e dá-lhe um ice-tea que sabe que eu não dou: a unica maneira de não chatear. vem por-se atras da porta a beber o sumo com ar desafiador olhando fixamente para mim... Engulo a comida às pressas e vou adormecer a pequena.
Preciso fazer alguma coisa... não me apetece sair de casa. Muitas vezes vejo-me obrigada a sair por ser a unica forma de ambas adormecerem e ter algum sossego, mas... hj não me apetecia ir para o campo.
A pequena dorme, a maior vou brincar com ela, dou-lhe umas massagens, quer ver um dvd, deixo ficar sossegada e agarro-me a um vaso de barro todo podre e decido renová-lo. Olhei para ele, dei-lhe uma lixadela mal dada e fui buscar as tintas. Tudo mto tosco e rustico, ficou engraçado, um vaso colorido para colocar a minha nova planta de s.jorge que tirei do jardim da minha sogra.
Claro que a eva acorda e quer pintar, Dou-lhe um pincel e coloco-a no meu colo e digo para pintar só na base. É claro que quer chafurdar o vaso todo e quando lhe tiro o pincel vira bicho! Quer arranhar-me, anda terrivel em matéria de birras. Vai para dentro mas a irmã trata de a chatear em segundos, faz tudo para a ver chorar, tira-lhe brinquedos e bate-lhe de forma que dps a pequena anda de volta de mim e do pai, e oura besunta a paredde com isolamento, ora coloca pedras num vaso e anda comigo sp no colo, para eu puder fazer alguma coisa. Imagine-se que cheguei a colocar juntas com a miuda pendurada nas minhas costas. Acabo por fim, entre paragens e lanches e chichis e cocos e lutas e choros e birras.
E já tenho pensar no jantar. Sinto-me a sufocar, tenho que sair e apanhar ar. Não gosto que a Carmen se enfie no vicio dos dvds, mas quando está cansada e não dorme a sesta só quer é este tipo de atividades passivas. Antes tinha saido de bicicleta como pendura do pai para ir às compras, e dps ao final do dia desafiei-a para ir agora ela pedalar. Mesmo pintarolada de tintas saí atrás da miuda que pedala a uma velocidade, controlando os carros, andando em ruas pouco movimentadas e passeios largos até chegarmos à marina. Regresso a casa, faço uma vibroplate enquanto o jantar se faz, enquanti a eva anda por ali nua,  a mijar-se pernas abaixo... Vamos para novo round e toca a dar jantares... A eva dá umas garfadas no prato dela e dps quer trepar a minha cadeira e por-se nas minhas costas e fingir que é um cão.
O pai treina e de vez em quando lá lhe escorre alguma ideia, porque eu ando já vazia nesta altura do dia... e vai buscar um rádio portátil que as miudas fazem uma festa. A eva poe o rádio às costas e vai dancando enquanto a outra faz macacadas e fartam-se de rir...
e pronto, chega a hora de ir dormir, dps de tentar apanhar a eva inumeras vezes para a lavar, e de contar umas 5 histórias do livro de histórias e de dizer que já não há mais aguas e chichis e..., e.., e... acabar por acordar com a voz irritante da teresa salgueiro num album medonho que está no mp3 dps das musicas de adormecer e que juro todas as noites apagar e vai ficando por ali...
e dps destes dias que me parecem ser parar "piorar" com as 2, não vai haver 3.º. Talvez mais tarde, mas dps destas crescidas... onde es´tará a coragem?
bom fim de semana

1 comentário:

Maggie disse...

pois eu já me deixei dessas ideias, ontem consegui ir arranjar os meus pés que estavam uma desgraça com as duas atrás, mas só agora cm 5 e 6 anos, não me meto noutra, nem pensar!

Bhos
Maggie